Humberto Costa: denúncia de Marcos Valério é “requentada”

Citado em depoimento prestado por operador do mensalão em setembro à Procuradoria Geral da República, senador nega ter recebido recursos do "valerioduto" e diz que suas contas de campanha foram todas aprovadas

O senador Humberto Costa (PT-PE) negou na manhã desta terça-feira (11) que tenha recebido qualquer dinheiro ilegal pago pelo chamado "valerioduto" para sua campanha ao governo de Pernambuco, em 2002. "Isso é um assunto requentado de 2005, levantado e devidamente respondido. As minhas contas de campanha são públicas e aprovadas pelos tribunais eleitorais. Não houve nenhum tipo de pagamento", disse. O senador afirmou ainda que o fato de o seu nome não aparecer no relatório final da CPI dos Correios nem no processo do mensalão que está em julgamento no Supremo Tribunal Federal prova que ele não teve qualquer envolvimento com o esquema.

Nos jornais: mensalão pagou despesa pessoal de Lula

De acordo com reportagem publicada na edição de hoje (11) do jornal O Estado de S. Paulo, Marcos Valério citou o senador entre os beneficiários do esquema operado por ele e que resultou em sua condenação no processo do mensalão. Em depoimento prestado em setembro à Procuradoria Geral da República, o empresário disse que repassou R$ 512.337 à tesoureira da campanha de Humberto Costa, Eristela Feitoza. "Não corresponde à verdade o que foi dito. Claro que nego", afirmou o senador esta manhã.

Mensalão: entenda o que está em julgamento

Quem são os réus, as acusações e suas defesas

Tudo sobre o mensalão

De acordo com a reportagem, Marcos Valério contou à Procuradoria-Geral da República que o esquema do mensalão bancou "despesas pessoais" do ex-presidente Lula. Disse, ainda, que Lula permitiu que empréstimos bancários fossem feitos para irrigar os pagamentos de parlamentares da base aliada. A reportagem ressalta que o nome de Humberto Costa já havia sido mencionado quando o esquema do mensalão foi tornado público, mas acabou ficando de fora da ação penal do mensalão.

Câmara e STF estão a um voto de crise institucional

Saiba mais sobre o Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!