Haddad nega compra de apoio de Maluf

Candidato a prefeito de São Paulo rebate declaração de sua antiga vice, em entrevista ao Congresso em Foco, de que PT deu cargo público a ex-prefeito paulistano para garantir mais espaço no horário eleitoral

O candidato a prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) contestou a declaração de sua antiga vice, a deputada Luiza Erundina (PSB-SP), de que o PT “comprou” o apoio do PP à sua candidatura. Em entrevista ao Congresso em Foco, Erundina disse que a aliança com o petista só foi fechada após a presidenta Dilma Rousseff nomear um engenheiro ligado a Maluf para a Secretaria Nacional de Saneamento, do Ministério das Cidades.

PT “comprou” apoio de Maluf, critica Erundina
Erundina: “A sociedade quer mudança”

“Não é verdade. O Ministério das Cidades, desde 2004, é ocupado por um membro do PP e eu tenho muito respeito pelo ministro Aguinaldo [Ribeiro]. O ministro tem feito um trabalho muito bom no Ministério das Cidades. Isso, desde 2004, tem sido assim e nada tem a ver com as eleições de 2012”, disse o candidato ontem à tarde, de acordo com o portal R7. Embora seja aliado de Maluf, o engenheiro Osvaldo Garcia - novo secretário nacional de Saneamento - não é filiado ao PP.

Ainda segundo o R7, Haddad demonstrou irritação ao ser questionado sobre a declaração de Erundina. Antes de se manifestar, o candidato chegou a dizer que não falaria sobre o assunto por desconhecer o contexto da declaração: “Não ouvi essa declaração. Preciso conhecer o contexto em que ela disse isso”.

Erundina desistiu de ser vice na chapa de Haddad logo após Maluf anunciar apoio à candidatura de Maluf, em ato realizado na casa do deputado com a presença do petista e do ex-presidente Lula. Segundo ela, o acordo foi feito para que o candidato do PT ganhasse mais 1 minuto e 45 segundos no horário eleitoral. A deputada afirma que as imagens do encontro do deputado com o ex-presidente trazem "grande simbolismo" e provocaram "revolta" entre militantes petistas.

Barganha

“Houve barganha: o Maluf exigiu a Secretaria de Habitação, que tem obras, no governo do Geraldo Alckmin em troca do apoio à candidatura do José Serra. Como o Alckmin se negou a dar a secretaria, ele veio para o Haddad. A presidenta Dilma deu para o Maluf uma secretaria nacional com mais recursos orçamentários. Foi pago para que o Maluf se coligasse com o PT”, declarou a deputada ao Congresso em Foco.

Ainda na entrevista, Erundina diz que o problema não é a coligação com o PP, que faz parte da base aliada do governo Dilma, mas com Maluf, político com histórico de acusações de desvio de dinheiro público e que pode ser preso pela Interpol caso deixe o país.

Para ela, o apoio do ex-prefeito paulistano está prejudicando o desempenho de Haddad nas pesquisas eleitorais e mostra como a política brasileira está “rebaixada”. Leia a íntegra da entrevista.

Erundina é uma das finalistas do Prêmio Congresso em Foco. Clique aqui para votar nos melhores parlamentares de 2012

Saiba mais sobre o Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!