Grupos fazem campanha para Eduardo Bolsonaro

Defensor de posições conservadoras como seu pai, Jair Bolsonaro, deputado do PSC paulista tem recebido apoio de sites autodeclarados de direita e de entidades que representam policiais federais, como ele. Votação do Prêmio Congresso em Foco se encerra neste domingo

Luma Poletti

Em seu primeiro mandato político, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) tem despertado a atenção por liderar a última parcial divulgada do Prêmio Congresso em Foco 2015. No último dia 10, Eduardo liderava a disputa pelo título de melhor deputado e outras cinco categorias especiais. Além do sobrenome famoso, que remete ao pai, o também deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), o parlamentar tem contado com o apoio de grupos considerados conservadores e de entidades sindicais ligadas a carreiras da Polícia Federal (PF). Ele é escrivão da PF desde 2010. A votação se encerra neste domingo (ainda não votou? Entre aqui para escolher os melhores parlamentares do ano).

Páginas da internet como "Admiradores de Jair Bolsonaro", "Reaçonaria", "Brasil Conservador", "Go Tropa" e "Stalin da Depressão" têm feito campanha para alavancar votos para o deputado, com quem têm uma pauta em comum. Tanto o parlamentar quanto esses grupos apoiam a revogação do Estatuto do Desarmamento e a redução da maioridade penal e resistem ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e à política de cotas raciais, por exemplo.

A liderança de Eduardo Bolsonaro, com mais de 13 mil votos até o dia 10, quebra uma tendência do Prêmio Congresso em Foco, que nas edições anteriores foi vencido por políticos com perfil mais à esquerda, como Chico Alencar (Psol-RJ) e Jean Wyllys (Psol-RJ) na Câmara, Eduardo Suplicy (PT-SP) e Cristovam Buarque (PDT-DF) no Senado. O último boletim também indicava a liderança do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), outro político de perfil autodeclarado conservador.

Na disputa pelo prêmio, Eduardo Bolsonaro – que já atuou como escrivão da Polícia Federal em Rondônia, São Paulo e Rio de Janeiro – também tem recebido o apoio de grupos de agentes federais. O site "Agentes Federais do Brasil" repercutiu a última parcial e convidou os mais de 125 mil seguidores da página a votarem no colega policial. O Sindicato dos Policiais Federais do Estado do Pará (Sinpefpa) também sugeriu à categoria votar em Eduardo Bolsonaro e Aluisio Mendes (PSDC-MA), ex-agente da PF.

Por Whatsapp, o Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal (Sindipol-DF) também tem feito campanha pelos dois deputados. "SINDIPOL/DF convida todos a votarem nos deputados Aluisio Mendes e Eduardo Bolsonaro, pelo site do Congresso em Foco p/ Melhores Deputados 2015. Vamos apoiá-los", diz a mensagem.

Em família

O parlamentar do PSC paulista também conta com um importante cabo eleitoral. Seu pai, Jair Bolsonaro, também tem feito campanha em sua página no Facebook para angariar votos para o filho. "Juntos, seremos bem mais fortes. Para fazer frente ao que está aí, conto com o seu voto para o deputado Eduardo Bolsonaro – Prêmio Congresso em Foco 2015".

Terceiro filho de Jair Bolsonaro, Eduardo tem outros dois irmãos na política: Carlos, que é vereador no Rio, e Flávio, deputado estadual. Estreante em mandato parlamentar, o deputado do PSC, de 31 anos, reconhece que, na disputa pelo prêmio, tem herdado votos que seriam dados ao pai, seu principal espelho político.

"Eu não esperava, por ser o meu primeiro mandato. Mas devo isso à não-candidatura do Jair Bolsonaro. Como o nome dele não está lá, as pessoas acabam votando em mim", explicou o deputado ao Congresso em Foco.

De acordo com o regulamento do prêmio, só podem ser votados parlamentares que não respondem a ação penal ou inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF). Por ser alvo, no momento, de dois inquéritos no Supremo, Jair Bolsonaro não está apto à votação.

Embora a última parcial tenha sido divulgada na semana passada, Eduardo Bolsonaro está confiante em relação ao resultado da votação. Mas evita cantar vitória antes da hora. "Vi aqui que estou com mais ou menos com o dobro de votos do segundo lugar, e a votação já tem algum tempo que está no ar, acredito que seja difícil inverter, mas é como dizem: o jogo só acaba quando termina, então vamos esperar". A votação se encerra neste domingo (20), mas o resultado só será divulgado na festa de premiação, marcada para 8 de outubro.

Bolsonaro versus Duvivier

A liderança do deputado na última parcial repercutiu até entre artistas. Conhecido por seu engajamento político, o ator, humorista e roteirista Gregório Duvivier divulgou o Prêmio Congresso em Foco em sua página no Facebook, convocando seus seguidores a votarem em candidatos do Psol e chamou os eleitores do deputado Eduardo Bolsonaro de "militância neo-nazi". Na ocasião, alguns internautas ameaçaram processar Duvivier.

Em resposta, Eduardo Bolsonaro declarou: "Algumas pessoas têm me perguntado se não vou processar quem fala mal de meu eleitorado. Quem se sentir ofendido e achar que deva processar que o faça. Porém, temos que tomar cuidado para não alavancar a popularidade de pessoas sem significância nos meios de comunicação, porque este é o real objetivo delas".

O deputado continuou: "A pior repulsa que um ignorante, como esses que fazem críticas meramente ofensivas a nós, pode sofrer é exatamente ser ignorado - mesmo sabendo que essa 'ignorância' na verdade vem acompanhada de uma boquinha do governo do PT". A publicação de Eduardo Bolsonaro teve mais de 3 mil curtidas e mais de 200 compartilhamentos.

Carioca que representa São Paulo, ao contrário do pai, que é paulista e representa os eleitores fluminenses, Eduardo Bolsonaro chegou à Câmara este ano graças aos 82.224 votos que recebeu em sua primeira disputa eleitoral, em 2014. Na eleição, teve como aliado o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), reeleito com 400 mil votos. Jair Bolsonaro foi um dos principais apoiadores de Feliciano em sua conturbada passagem pela presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, em 2013.

Prêmio Congresso em Foco

O Prêmio Congresso em Foco 2015 é patrocinado pela Ambev e pela Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (Anabb).

Conta com o apoio da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical), da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), da Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais (Anadef), do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz), da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), da Associação Nacional dos Procuradores do Estado (Anape) e das quatro entidades que integram o Ciclo de Gestão do Poder Executivo Federal: a Associação Nacional dos Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (Anesp), a Associação dos Analistas de Comércio Exterior (AACE), a Associação Nacional dos Servidores da Carreira de Planejamento e Orçamento (Assecor), a Associação dos Servidores do Ipea (Afipea) e a Associação Nacional dos Procuradores dos Estados e do DF (Anape).

O projeto tem ainda a parceria institucional do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF) e do site Vote na Web.

Clique aqui para votar

Mais sobre o Prêmio Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!