Grupo contra Bolsonaro com petistas e tucanos faz ato na Câmara dia 30

O Direitos Já, grupo de oposição ao presidente Jair Bolsonaro com membros de partidos como PT e PSDB, fará evento no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados, às 16 horas.

Um dos fundadores do grupo, o sociólogo Fernando Guimarães, se reuniu individualmente nas últimas semanas em São Paulo com Fernando Haddad (PT-SP), Geraldo Alckmin (PSDB-SP), Ciro Gomes (PDT-CE), Márcio França (PSB-SP) e Antonio Anastasia (PSDB-MG).

Guimarães é filiado ao PSDB e coordenador de uma corrente tucana chamada de Esquerda Pra Valer. Ao Congresso em Foco, ele disse que começará a mandar os convites para o evento em Brasília na próxima terça-feira (8).

Os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), já foram convidados pessoalmente por Guimarães.

O líder do PSDB Esquerda Pra Valer esteve em Brasília e se encontrou na semana passada com os líderes da oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ), e no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

> PSDB divulga nota contra Guedes

No dia 2  de setembro, em São Paulo, participaram do evento oficial de lançamento do grupo nomes como Ciro Gomes, Flávio Dino (PCdoB-MA), Márcio França, Luís Felipe D´ávila (PSDB-SP), Eduardo Suplicy (PT-SP), Paulinho da Força (Solidariedade-SP), Eduardo Jorge (PV-SP) e Marta Suplicy (sem partido).

Fernando Henrique Cardoso, Anastasia e Aldo Rebelo (Solidariedade) não participaram do evento, mas enviaram vídeos para serem transmitidos no local.

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) também não pôde participar, mas uma mensagem sua foi lida na qual ele deu “total apoio ao movimento”.

Fernando Haddad (PT) foi convidado, mas não compareceu ao evento. Guimarães explica por que ele não enviou vídeo: “A presença de Haddad estava confirmada, por isso que a gente não programou vídeo”.

A assessoria de comunicação do petista afirmou que ele não foi ao evento porque recebeu, no mesmo horário, na casa onde reside na capital paulista, uma pessoa em um compromisso pessoal.

ciro gomesFernando HaddadGeraldo AlckminJair BolsonaroPSDBPT