Governo recorre ao STF para suspender julgamento de contas no TCU

Advogado-geral da União pede a suspensão do julgamento das contas de 2014 do governo até que seja analisado separadamente o pedido de suspeição do ministro Augusto Nardes, relator do processo

O advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, recorreu nesta terça-feira (6) ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender o julgamento das contas de 2014 do governo da presidenta Dilma Rousseff, previsto para amanhã (7), no Tribunal de Contas da União (TCU).  A ação foi distribuída para o ministro Luiz Fux.

No mandado de segurança impetrado no STF, Adams alega que o tribunal não pode prosseguir com o julgamento sem analisar separadamente o pedido de suspeição do ministro Augusto Nardes.

No pedido de suspeição protocolado ontem (5) no TCU, a AGU pede que Nardes seja afastado da relatoria do processo por ter indicado antecipadamente que votará pela rejeição das contas.

Para o governo, o tribunal deve suspender o julgamento das contas e analisar a suspeição de Nardes separadamente.

“Essa conduta, de deixar de suspender a causa principal sem a instrução adequada para a exceção de suspeição, termina afrontando o Regimento Interno do TCU e o Código de Processo Civil, de aplicação subsidiária aos processos administrativos em curso na corte de Fiscalização, por determinação do próprio regimento interno”, alegou Adams.

Ontem, após tomar conhecimento do pedido de suspeição, o ministro Augusto Nardes repudiou a postura do governo e disse que “não irá se acovardar” diante do que ele classifica de uma tentativa do governo de intimidá-lo.

Em resposta, Adams reiterou que o Regimento Interno do TCU impede que um ministro da corte emita opinião sobre o processo que vai julgar.

Mais sobre pedaladas fiscais

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!