Governo negocia nova proposta de correção da tabela do IR

Para tentar evitar derrubada de veto presidencial a reajuste de 6,5%, governo admite rever o percentual de 4,5%, único admitido até agora pelo Planalto

Em uma tentativa de evitar a derrubada do veto presidencial ao projeto que trata do reajuste da tabela do Imposto de Renda, emissários do governo vão conversar nesta terça-feira (10) com parlamentares para chegar a uma proposta alternativa. A presidenta Dilma Rousseff se reuniu com os líderes dos partidos da base aliada no Senado no início da noite de hoje (9), a dois dias da apreciação de vetos presidenciais por sessão conjunta da Câmara e do Senado.

O ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Pepe Vargas, disse que a proposta ainda não está fechada, e não deu detalhes sobre o texto em entrevista no Palácio do Planalto. Segundo ele, além dos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o governo também vai tentar convencer as lideranças da Câmara sobre o assunto.

O projeto que corrige em 6,5% a tabela do Imposto de Renda da Pessoas Física foi vetado em janeiro por Dilma. Ela defende a correção de 4,5% alegando que um percentual maior que este não cabe no Orçamento. Caso os parlamentares derrubem o veto presidencial, valerá o reajuste de 6,5%.

“Ao longo do tempo várias propostas foram discutidas”, explicou Vargas. O  ministro disse que o governo está aberto ao diálogo para tentar chegar a uma posição consensual, mas não quis comentar os valores que estão em negociação.

Mais sobre Imposto de Renda

Mais sobre economia

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!