Governo do Maranhão faz divulgação contra turismo sexual após declaração de Bolsonaro

O governo do Maranhão alfinetou indiretamente o presidente Jair Bolsonaro em uma peça publicitária contra o turismo sexual, divulgada na última sexta-feira (26).

“O Maranhão está à disposição dos turistas. A mulher maranhense, não”, diz o texto, que é um convite à festa de São João, festa junina tradicional da região. O anúncio foi reproduzido inclusive no Twitter oficial do governador do estado, Flávio Dino (PCdoB).

A propaganda (veja íntegra ao final da matéria) foi veiculada um dia após uma declaração que Bolsonaro teria feito em um café da manhã com jornalistas na última quinta (25). Segundo a revista Crusoé, o presidente disse que “o Brasil não pode ser um país do mundo gay, de turismo gay. Temos famílias”, e completou em seguida: “quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade”.

“São João chegando e o Maranhão já está de portas abertas a todos os turistas, sem distinção. Mas as portas estão fechadas para a exploração da mulher, que merece respeito sempre, nos 4 cantos do país”, complementa o material turístico do governo maranhense.

Bolsonaro, segundo a revista, fez o comentário ao ser questionado sobre a decisão do Museu Americano de História Natural de Nova Iorque de não sediar um evento em homenagem a ele. O presidente avaliou que a recusa foi motivada pela fama de homofóbico à qual estaria associado no exterior.

O Planalto foi procurado pelo Congresso em Foco para esclarecer a declaração de Bolsonaro, mas informou que não irá se manifestar.

Peça foi divulgada um dia após Bolsonaro dar declaração polêmica[divulgação/governo do Maranhão]
>> Bolsonaro veta comercial do Banco do Brasil que celebra diversidade. Assista

Flávio Dinogoverno BolsonaroLGBTMaranhãoturismo sexual