Governo cumpre apenas 32% das metas estabelecidas no início do ano

Das 34 metas estabelecidas no início do ano, apenas 11 foram cumpridas

Das 34 metas que constavam na mensagem enviada pela presidente Dilma ao Congresso Nacional no dia 2 de fevereiro deste ano, para o início dos trabalhos do Legislativo, apenas 11 (32,3%) foram atingidas, de acordo com levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo. Outras 17 (50%) tiveram desempenho insatisfatório e seis (17,7%) saíram do papel em parte, visto que o prazo estabelecido para sua implementação não termina neste ano.

Entre as metas econômicas, as únicas atingidas foram, praticamente, os aumentos de impostos. O país enfrenta uma recessão e já foi rebaixado por duas agências de risco. O professor do Instituto de Economia da Unicamp, Guilherme Mello explica que é preciso realizar mudanças na política econômica para reverter esse cenário, e acredita que boa parte do ajuste fiscal realizado em 2015 contribuiu para que 2016 inicie melhor. “Crédito, inflação, crescimento e emprego – tudo isso teve uma deterioração muito superior ao que qualquer um esperava”, disse o professor.

Por outro lado, para o especialista em finanças públicas, Mansueto Almeida, o pior do ajuste ainda está por vir. “Estamos muito longe de ter concluído o ajuste: o corte de gastos se deu à custa da enorme redução no investimento público, de 40% até outubro, e mudança no cronograma do pagamento do abono salarial, que é uma economia necessária”, comenta.

Na Educação – área tida como prioridade pelo governo, que adotou o lema  “Pátria Educadora” – poucos objetivos foram concluídos, entre eles a construção de creches e pré-escolas e a oferta de mais de 270 mil bolsas de estudo no ProUni. Outras quatro metas tiveram desempenho insatisfatório e três foram parcialmente cumpridas.

Veja a reportagem completa no jornal Folha de S. Paulo

Mais sobre crise econômica

Mais sobre gestão pública

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!