Governistas chegam a acordo para aprovar desoneração da folha

Planalto e sua base conseguem convencer PMDB a aprovar último item do ajuste fiscal. Relator na Câmara vai propor aumento de 50% das taxas sobre o faturamento de empresas

O projeto que reduz a desoneração da folha de salários, previsto no ajuste fiscal, pode ser aprovado nesta semana. Governo e líderes da base aliada concordaram nesta terça-feira (16/06) em taxar as áreas da comunicação, transportes, call center e cesta básica.

A votação desse tópico do ajuste seria realizada na quarta-feira (10/06) passada. Mas o Palácio do Planalto optou por adiar a discussão para não sofrer outra derrota na Câmara. O relator do projeto na Casa, deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), declarou ao site do jornal Folha de São Paulo que vai propor um aumento de 50% das taxas sobre o faturamento dessas empresas.

A decisão de favorecer o ajuste foi tomada após reunião entre o vice-presidente da República, Michel Temer, os ministros Joaquim Levy (Fazenda), Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Carlos Gabas (Previdência), e líderes da base aliada. Temer afirma que há grandes chances de a votação ocorrer ainda nesta semana.

O governo havia proposto que todas as áreas beneficiadas com a desoneração da folha arcassem com uma elevação superior a 100% das alíquotas. Picciani confirma que a aplicação da nova regra não será gradual. O aumento da taxação entrará em vigor, de forma integral, três meses após a sanção da lei.

Mais sobre Ajuste Fiscal

Confira a íntegra da reportagem da Folha de São Paulo

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!