Gilmar Mendes pede a Janot para reavaliar se é o caso de investigar Aécio

Pela segunda vez em duas semanas, ministro do STF envia de volta ao procurador-geral da República pedido de abertura de inquérito contra o presidente do PSDB e questiona se há necessidade de levar adiante investigação contra ele

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), devolveu ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o segundo pedido de abertura de inquérito contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Gilmar questiona Janot se ele considera mesmo necessário levar adiante as apurações. São alvos do mesmo pedido de abertura de inquérito o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), e o líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP).

Esta é a segunda vez que Gilmar questiona a PGR sobre a abertura de um inquérito envolvendo o senador tucano. No primeiro pedido devolvido a Janot, um dia depois de ter autorizado o início das investigações, o ministro mandou paralisar as ações e solicitou um parecer do procurador-geral sobre a necessidade das apurações. A PGR ainda não enviou resposta. O pedido foi feito por causa das citações do ex-senador cassado Delcídio do Amaral (MS) que associam o presidente do PSDB ao esquema de corrupção de Furnas.

No segundo pedido contra Aécio, a Procuradoria-Geral da República pede autorização para investigar se Aécio participou de uma manobra para camuflar dados do Banco Rural com o objetivo de esconder operações financeiras do chamado mensalão mineiro ou tucano. Na defesa prévia apresentada, Aécio argumenta que não há elementos mínimos para justificar a instauração de um inquérito.

Também nesse caso a fonte de informação é Delcídio. O tucano nega envolvimento em irregularidades e diz que o envolvimento de seu nome interessa ao PT.

Mais sobre Aécio Neves

Mais sobre a Operação Lava Jato


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!