FHC e vice de Aécio rejeitam “abraço de afogados” com Dilma

Ex-presidente afirma que possibilidade de aproximação com Dilma seria vista como “conchavo”; Aloysio Nunes diz que só há uma solução para crise: “tirar o PT do poder”

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), vice de Aécio Neves (PSDB-MG) na disputa presidencial de 2014, rechaçaram qualquer possibilidade de “pacto” com a presidenta Dilma Roussef (PT) contra a crise econômica e política que atinge o país.

“Qualquer conversa não pública com o governo pareceria conchavo na tentativa de salvar o que não deve ser salvo”, disse FHC por meio de nota. Segundo o ex-presidente, o momento é de “busca de aproximações” com o povo, e não com o governo.

“Abraço de afogados? Estamos inequivocamente fora”, disse Aloysio. Para o senador paulista, a condição para que o país saia da crise é “tirar o PT do poder”. Ele classificou como “delírio sem qualquer fundamento na realidade esse de acordão do PSDB com o PT”.

Os dois divulgaram nota para contestar a informação de que tucanos emitem sinais de uma aproximação com o governo diante da “deterioração do quadro político”, em meio às crises políticas que atingem tanto Dilma quanto governadores do PSDB, como Beto Richa (PR) e Geraldo Alckmin (SP).

Em nota publicada na sexta-feira (6), a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, escreveu que o “empurrão” no acordo suprapartidário tem o patrocínio de setores empresariais e financeiros “com pânico da recessão”. Segundo a jornalista, FHC tem se reunido com petistas e interlocutores do Planalto e discutido os efeitos da Operação Lava Jato, em uma aproximação avalizada pela presidenta e pelo ex-presidente Lula.

Leia a íntegra das notas de FHC e Aloysio:
“O momento não é para a busca de aproximações com o governo, mas sim com o povo. Este quer antes de mais nada que se passe a limpo o caso do Petrolão: quer ver responsabilidades definidas e contas prestadas à Justiça.

Qualquer conversa não pública com o governo pareceria conchavo na tentativa de salvar o que não deve ser salvo.

Cabe sim que as forças sociais, econômicas e políticas se organizem e dialoguem sobre como corrigir os desmandos do lulo-petismo que levaram o país à crise moral e a economia à recessão

Fernando Henrique Cardoso”

"Delírio sem qualquer fundamento na realidade esse de acordão do PSDB com o PT. A condição para tirar o Brasil da crise é tirar o PT do poder. Nosso dever é travar um combate sem tréguas ao desastre ético e administrativo do lulo-dilmo-petismo para nos credenciarmos cada vez mais a derrotá-los nas ruas e no voto. Abraço de afogados? Estamos inequivocamente fora

Aloysio Nunes Ferreira".

Mais sobre a Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!