Febrafite critica uso das Forças, vê Temer sem condição de governar e Congresso sem legitimidade para reformas

Entidade defende respeito à Constituição. “Consciente da gravidade do momento, a entidade alerta que se faz necessário serenidade na tomada de decisões e reafirma à sociedade brasileira o compromisso das instituições de Estado e de seus servidores públicos de permanecerem atuantes em defesa do Brasil”

 

Por meio de nota, a Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite) se manifestou, nesta sexta-feira (26), sobre a crise brasileira agravada desde a delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do Grupo JBS (Friboi), na última quarta-feira (26). Em ação coordenada da força-tarefa da Operação Lava Jato, sob comando do Ministério Público Federal, foram feitas gravações e vídeos que mostram o presidente Michel Temer, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), ambos os parlamentares já afastados de suas funções, em conversas e situações comprometedoras. Resultado: investigação formal de Temer no Supremo Tribunal Federal (STF), algo inédito na história do país, e pedido de prisão de Aécio, sub judice, e Rocha Loures.

Leia mais:
Dono da JBS grava Michel Temer avalizando compra de silêncio de Eduardo Cunha
Joesley revela propina de R$ 60 milhões a Aécio e compra de partidos em 2014, diz O Globo
De volta ao Brasil, deputado filmado recebendo dinheiro da JBS é hostilizado em aeroporto

Para a Febrafite, a crise aguda não só retirou de Temer as condições de governabilidade como desaconselha a aprovação de reformas estruturais por ele patrocinadas. “Sem entrar no mérito da veracidade das acusações divulgadas no último dia 18 e que estão sendo investigadas pelos órgãos competentes, a Febrafite e suas filiadas chamam a atenção das autoridades que estas ocorrências, com repercussão internacional, tornaram insustentável a permanência do atual Presidente da República à frente da nação”

A Febrafite e suas filiadas manifestam, ainda, repúdio, de um lado à medida do Governo Federal que nesta quarta-feira, dia 25, convocou as Forças Armadas para fazer a segurança no Distrito Federal, em um dia de manifestações legítimas da sociedade, e de outro lado aos atos de vandalismo realizados por grupo organizado de origem desconhecida contra o patrimônio público, um não justificando a utilização do outro, assim como desvios de conduta em todo esse processo devem ser penalizados, diz a entidade, que tem mais de 30 mil associados.

Leia também:
Temer revoga decreto que autorizou o uso das Forças Armadas em Brasília
Temer autoriza Forças Armadas em Brasília até 31 de maio

“Este cenário de crise, que envolve muitos parlamentares, retira do Congresso Nacional sua legitimidade política para votar qualquer proposta de reforma, como pretende o Governo Federal”, acrescenta a entidade.

Confira a íntegra da nota:

“A Febrafite, Entidade Nacional que congrega as Associações dos Fiscos Estaduais e Distrital, com mais de trinta mil associados, vem a público manifestar sua preocupação diante dos últimos fatos noticiados pela imprensa envolvendo o Presidente da República Michel Temer e diversos parlamentares, que agravaram ainda mais a crise política brasileira.

Sem entrar no mérito da veracidade das acusações divulgadas no último dia 18 e que estão sendo investigadas pelos órgãos competentes, a Febrafite e suas filiadas chamam a atenção das autoridades que estas ocorrências, com repercussão internacional, tornaram insustentável a permanência do atual Presidente da República à frente da nação.

Este cenário de crise, que envolve muitos parlamentares, retira do Congresso Nacional sua legitimidade política para votar qualquer proposta de reforma, como pretende o Governo Federal.

A Febrafite e suas filiadas manifestam, ainda, repúdio, de um lado à medida do Governo Federal que nesta quarta-feira, dia 25, convocou as Forças Armadas para fazer a segurança no Distrito Federal, em um dia de manifestações legítimas da sociedade, e de outro lado aos atos de vandalismo realizados por grupo organizado de origem desconhecida contra o patrimônio público, um não justificando a utilização do outro, assim como desvios de conduta em todo esse processo devem ser penalizados.

Consciente da gravidade do momento político, a entidade alerta que se faz necessário serenidade na tomada de decisões e reafirma à sociedade brasileira o compromisso das instituições de Estado e de seus servidores públicos de permanecerem vigilantes e atuantes em defesa do Brasil, conforme garante a Constituição Federal.

Que toda essa crise possa representar, além de preocupação, um momento de oportunidades, com mais maturidade política, ética e responsabilidade para avançarmos na busca de um Brasil melhor para todos.

Brasília, 26 de maio de 2017.

Roberto Kupski
Presidente da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite)

 

Mais sobre crise brasileira

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!