Fazenda ligada a Temer é ocupada em São Paulo, afirma MST

Vice-presidente Michel Temer nega que tenha ligação com o imóvel, que possui 1,5 mil hectares e fica entre os municípios Duartina, Fernão, Gália e Lucianópolis

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) anunciou que mil famílias ocuparam, na segunda-feira (9), a Fazenda Esmeralda, em Duartina, no interior paulista. De acordo com o movimento, a propriedade é do vice-presidente da República, Michel Temer. A assessoria do peemedebista nega que ele seja o dono da fazenda.

Em nota, o MST justificou que a ocupação teve o objetivo de colocar, novamente, em pauta o tema da reforma agrária. "[A intenção] é denunciar as conspirações golpistas de Temer, muitas vezes, articuladas de dentro da propriedade”, informa o movimento, referindo-se ao processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Segundo o movimento, a fazenda se estende por 1,5 mil hectares, entre os municípios de Duartina, Fernão, Gália e Lucianópolis e que, embora o imóvel pertença à empresa Argeplan, teria ligações com o vice que estaria usando o local para articulações com os políticos do PMDB. Na propriedade, explica o comunicado, existe produção de eucalipto envolvendo mão de obra análoga à escravidão.

A Argeplan – empresa de engenharia e arquitetura – pertence a João Baptista de Lima Filho. Um porta-voz informou por telefone que as informações passadas pelo MST não têm fundamento e que seriam acusações de interesses políticos. A empresa também informou que já estão sendo tomadas as providências para solicitar a reintegração de posse.

Segundo a Polícia Militar, a ocupação ocorreu por volta das 6h de forma pacífica. Uma viatura chegou a se deslocar até a entrada da fazenda, mas já deixou o local. Até as 12h30 não havia o registro de nenhum incidente.

Mais sobre Michel Temer

Mais sobre o Brasil nas ruas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!