Facebook se recusa a retirar página que pede a morte de Lula

Grupo aberto da rede social tem ofensas, mensagens de ódio e possui mais de 5 mil membros

O Facebook se recusou a retirar página da rede social que pede pela morte do ex-presidente Lula. Como uma espécie de fórum, a página é um grupo aberto de discussão, que, de acordo com a própria descrição, "visa enterrar essa figura que acabou com a vida de milhares de brasileiros".

O conteúdo da página - que até esta terça-feira (11) tinha pouco mais de 5 mil membros - inclui ofensas e mensagens de ódio contra o ex-presidente Lula, a presidente Dilma Rousseff e ao PT.

Uma publicação na fan page do ex-presidente petista, de 7 de agosto, afirma que a comunidade "ameaça a vida de Lula" e faz apelo aos seguidores que denunciem a página. Ainda de acordo com o post, o pedido foi feito antes do ataque a bomba, em 30 de julho, na sede do Instituto Lula, em São Paulo. No entanto, a rede social se nega a retirar a página do ar, alegando que o grupo não oferece “ameaça real” ao ex-presidente.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!