FAB diz que gravação da caixa-preta de jato não era do voo de Eduardo Campos

Responsável pela investigação do acidente aéreo em que morreu o presidenciável Eduardo Campos, FAB informou que "dados do gravador de voz" já foram analisados e não correspondem aos do voo da última quarta

A Força Aérea Brasileira (FAB) informou nesta sexta-feira (15) que a gravação da caixa-preta do avião com prefixo PR-AFA não é do voo em que estava Eduardo Campos, presidenciável do PSB. Técnicos do centro de investigação e prevenção de acidentes aeronáuticos (Cenipa) analisaram as duas horas de áudio da caixa-preta.

A FAB é responsável pela investigação do acidente aéreo que causou a morte do pessebista, na última quarta-feira (13), em Santos (SP). Além do candidato, morreram quatro colaboradores da campanha e os dois pilotos do jato.

Em nota, a FAB afirmou que, até o momento, não é possível dizer qual a data dos diálogos registrados na caixa-preta encontrada em Santos porque esse tipo de equipamento não registra essa informação. “As razões pelas quais o áudio obtido não corresponde ao voo serão apuradas durante o processo de investigação”, consta da nota.

Na nota, a FAB ressaltou que “os dados obtidos no gravador de voz representam apenas um dos elementos levados em consideração durante o processo de investigação, não sendo imprescindíveis para a identificação dos possíveis fatores contribuintes [para o acidente]”.

 

Mais sobre Eduardo Campos

Mais sobre eleições 2014

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!