Executivo que aceitou delação doou R$ 6,7 milhões a 13 partidos

Boa parte do dinheiro repassado por Júlio Camargo, da Toyo-Setal, abasteceu os caixas de PT e PR. Os petistas Marta Suplicy, Lindbergh Farias e Delcídio do Amaral e José Roberto Arruda (PR) foram beneficiados

O executivo da Toyo-Setal Júlio Camargo, que aceitou acordo de delação premiada dentro da Operação Lava Jato, doou R$ 6,7 milhões para 13 diferentes partidos políticos entre 2006 e 2014. Boa parte deste valor abasteceu os caixas financeiros de PT e PR. De acordo com a Folha de S. Paulo, as doações foram feitas pelo próprio executivo ou por empresas que ele é sócio.

O PT recebeu R$ 2,56 milhões, equivalente a 38% do total. Os senadores Marta Suplicy (SP), Lindbergh Farias (RJ) e Delcídio do Amaral (MS) e o deputado Adriano Diogo (SP) foram beneficiados. De acordo com o partido, as doações foram legais, feitas respeitando as regras vigentes. Ao PR o executivo repassou R$ 2,49 milhões (36,9%), sendo que R$ 2 milhões deste total entraram na conta de campanha de José Roberto Arruda, que desistiu da corrida ao Palácio do Buriti após ser barrado pela Lei da Ficha Limpa.

A Toyo-Setal tem contratos de cerca de R$ 4 bilhões com a Petrobras. Ao assinar o acordo de delação premiada, Júlio Camargo, suspeito de pagar propina para conseguir contratos na estatal, comprometeu-se a contar o que sabe sobre o esquema e a pagar multa de R$ 40 milhões.

Leia a íntegra da matéria

Mais sobre a Operação Lava Jato

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!