Executiva do MDB dissolve diretório de Pernambuco; Fernando Bezerra Coelho assume comando estadual

 

A cúpula do MBD decidiu, na tarde desta terça-feira (20), dissolver o diretório do partido no estado do Pernambuco. Por 17 votos a 6, os emedebistas decidiram destituir Raul Henry da presidência estadual e entregar a máquina partidária no estado ao senador Fernando Bezerra Coelho, que deve concorrer ao governo. Agora, o MDB se torna oposição à reeleição de Paulo Câmara ao Palácio das Princesas.

Raul, agora ex-presidente do diretório, afirmou que a dissolução foi um “processo vergonhoso conduzido de maneira ilegal e indecente”. O senador Romero Jucá (RR), presidente nacional do partido, rebateu a declaração do correligionário e afirmou que não houve qualquer ilegalidade. De acordo com Jucá, a reclamação é “choro de quem perdeu”.

<< Fundador do PMDB, Jarbas Vasconcelos diz querer ver Jucá sair algemado do Congresso: “Crápula”

O MDB ensaiava uma intervenção no diretório desde o fim do ano passado. A decisão de Henry, de apoiar a reeleição do atual governador do estado vai contra os planos da cúpula partidária nacional, que apoia a candidatura de Fernando Bezerra Coelho - que trocou o PSB pelo MDB no ano passado. O impasse sobre a dissolução do diretório foi parar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ontem (segunda, 19), o ministro Admar Gonzaga derrubou a decisão da Justiça paraibana que impedia a executiva nacional de retirar Henry do comando do partido no estado.

Em 19 de dezembro, quando o MDB aprovou mudanças no estatuto que permitiam a intervenção no diretório, o deputado Jarbas Vasconcelos (PE), que fazia parte do comando do partido em Pernambuco, fez um duro discurso contra Jucá. Um dos fundadores do MDB, Jarbas condenou a postura do correligionário à frente do partido e disse esperar o dia em que o verá “sair algemado” do Congresso.

“Se pudesse qualificar Romero em uma única palavra, deixo-a registrada nos anais da Câmara: é um crápula!”, bradou. Jarbas era contra a dissolução e afirmou que Fernando Bezerra havia respondido com “deslealdade e traição” ao “gesto de boa vontade” do partido em filiá-lo, e questionou “quem é Romero Jucá para ameaçar o PMDB de Pernambuco?”.

 

<< PMDB suspende os seis deputados peemedebistas que votaram a favor da investigação de Temer

<< Kátia Abreu: “Por que PMDB nunca pune filiado condenado ou preso?”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!