Ex-relator do caso Cunha recebeu oferta de propina, diz jornal

"Vai devagar, pensa bem, não é tudo que a mídia fala que é verdade, tem que tomar cuidado, tem que pensar aqui dentro da Casa"

O deputado Fausto Pinato (PRB-SP), afastado da relatoria do processo de cassação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou que recebeu, por três vezes, oferta de propina para que mudasse seu parecer. O relaltório propunha a continuidade da ação. Pinato afirma, porém, que não conhece as pessoas que lhe ofereceram dinheiro. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Conselhos
Embora não cite nomes, o deputado garante que recebeu conselhos, de parte de aliados de Cunha, para que tomasse cuidado. O ex-relator dissse que foi procurado inicialmente por parlamentares alertando para que tivesse cuidado, que Eduardo Cunha é muito influente, domina praticamente todas as comissões da Casa.
"Fui tirado da relatoria porque estava fazendo um trabalho sério e independente. Tomei a cautela de não omitir nenhum tipo de opinião de mérito".

Pinato declarou que foi abordado em aeroporto, por pessoas estranhas, e que também recebeu telefonemas de desconhecidos, com sugestões de que pensasse bem na família.
"Assim: 'Você não quer pensar na tua vida? Pensar em você? Pensa bem, você pode arrumar tua vida [faz sinal de dinheiro com as mãos]. Umas coisas nesse sentido. Mas eu cortava. Sempre tentei me esquivar.Mas não sei se era para arquivar ou para condenar. Eu já cortava e saía.
O parlamentar não afirma que sofreu ameaça.
"Não, só aconselhamento, do tipo 'vai devagar, pensa bem, não é tudo que a mídia fala que é verdade, tem que tomar cuidado, tem que pensar aqui dentro da Casa'".

Veja a íntegra da matéria da Folha

Mais sobre crise na base

Mais sobre Legislativo em crise

Continuar lendo