Ex-marqueteiro do PT João Santana, mulher e mais quatro pessoas são condenados na Lava Jato

Pelo crime de lavagem de dinheiro, no âmbito da Operação Lava Jato, o juiz Sérgio Moro também condenou a publicitária Mônica Moura, mulher do marqueteiro

 

O juiz federal Sérgio Moro condenou nesta quinta-feira (2) o ex-marqueteiro do PT, João Santana, a oito anos e quatro meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Lava Jato. Pelo mesmo crime e com a mesma pena, Moro também condenou a publicitária Mônica Moura, mulher do marqueteiro.

Também foram condenados o engenheiro Zwi Skornicki, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, o ex-gerente geral da área internacional da Petrobras, Eduardo Musa, o ex-diretor presidente da Sete Brasil, João Carlos Ferraz.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, Zwi Skornicki transferiu recursos para Mônica Moura e João Santana por meio de contas no exterior em nome de offshores não declaradas às autoridades brasileiras, de forma a dificultar ainda mais a identificação da operação ilícita e de seus titulares. O fato caracterizou o crime de lavagem de dinheiro.

A denúncia aponta a transferência de US$ 4,5 milhões a João Santana e Mônica Moura por crimes cometidos diretamente contra a Petrobras. Esse valor correspondia a um montante maior destinado ao PT em decorrência da participação no esquema instaurado.

Mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!