Ex-amante de FHC nega ter recebido dinheiro para dar entrevista

Jornalista Mirian Dutra explicou nas redes sociais os motivos que a levaram a revelar detalhes do relacionamento com o ex-presidente

A jornalista Mirian Dutra, ex-repórter da Rede Globo, usou as redes sociais para responder às acusações de que teria recebido dinheiro para relatar suas relações com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. “Dei uma entrevista a uma amiga querida numa revista espanhola discreta. Não houve negociações financeiras”, escreveu a jornalista, citando a publicação Brazil com Z, editada na Espanha.

No texto, ela diz não ter feito as revelações antes porque sua imagem estava associada à Rede Globo. “Não achava correto, ético”, afirma Mirian, que foi desligada das empresas da família Marinho em dezembro. A jornalista confessa ainda que, depois de falar com a revista espanhola, foi procurada pela Folha de S. Paulo, mas não imaginava a repercussão que o caso teria no Brasil.

Mirian, que atualmente mora em Madri, a capital espanhola, confessa já ter falado o que queria. “Tentarei buscar recomeçar uma vida com outros trabalhos", diz a jornalista. “Preciso trabalhar! Não vendo minha vida, tampouco coloco pessoas em situações difíceis. Se elas se incomodam, devem ter motivos, e isso não é meu problema!”, conclui.

Romance

O relacionamento extraconjugal entre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e a jornalista voltou às manchetes dos jornais nesta semana quando Mirian disse em entrevista que utilizou um contrato fictício com a empresa Brasif S.A., entre 2002 e 2006, para receber uma mesada de FHC. A jornalista usava o dinheiro (US$ 3 mil mensais) para custear os gastos com a educação do filho Tomás Dutra Schmidt no exterior. Segundo ela, o filho é de FHC, que usa dois exames de DNA para contestar a afirmação da mãe do garoto, mas alimenta um relacionamento paternal com ele.

De acordo com o contrato firmado entre a jornalista e a Brasif, Mirian seria responsável por executar “serviços de acompanhamento e análise do mercado de vendas a varejo a viajantes”, além de fazer prospecções “tanto em lojas convencionais como em duty free shops e tax free shops” em países europeus. Tais informações deveriam ser repassadas à Brasif, que naquela época explorava free shops – lojas com isenção de impostos – em aeroportos brasileiros.

Porém, apesar das designações de função postas em contrato, Mirian afirma que “jamais pisou” em uma loja, duty free ou não, para trabalhar. Ela declarou ainda que a remuneração mensal acertada no contrato serviu para complementar a renda familiar.

Brasif nega

Em nota divulgada nesta sexta-feira (19), a Brasif confirmou que tinha um contrato com a jornalista em 2002, mas negou a participação do ex-presidente na contratação ou no financiamento do salário de Mirian. “A Eurotrade Ltd., plataforma logística internacional das operações da Brasif Duty Free Shop Ltda., contratou, em dezembro de 2002, a jornalista Miriam Dutra para realizar pesquisas sobre os preços em lojas e free shops na Europa. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não teve qualquer participação nessa contratação, tampouco fez qualquer depósito na Eurotrade ou em outra empresa da Brasif”, diz a nota.

A nota da Brasif adverte ainda que a contratação de Mirian foi uma indicação do jornalista Fernando Lemos, cunhado de Mirian ao diretor da empresa, Jonas Barcelos Corrêa. Segundo a empresa, a Brasil Duty Free Shop e a Eurotrade Ltd foram vendidas em 2006.

Juridicamente

De acordo com especialistas, Fernando Henrique não pode ser condenado por ter enviado dinheiro ao exterior através de empresas particulares. Entre eles há o consenso de que se trata de uma prática imoral, mas não ilegal. Por outro lado, caso ainda mantivesse algum cargo público, o ex-presidente poderia vir a ser processado por tráfico de influência.

Leia a íntegra da mensagem de Mirian Dutra:

Aviso aos leitores e aficcionados a redes sociais !

Sabe quando vc deixa seu trabalho depois de muitos anos e começa a escrever suas memórias ?
Assim começou esta semana fora de ordem , caótica , pelo menos p mim!

Dei uma entrevista a uma amiga querida , numa revista espanhola, discreta !

Não houve negociações financeiras ! E não vai nunca existir !

Pois esta pequena parte do diário da minha vida , virou um obus !

Agradeço do fundo do meu coração aos amigos que sempre acompanharam este caso é sempre foram discretos ! O fato não era novo .

Decidi escrever um diário 30 anos depois .
Um diarinho!

Minha surpresa foi a repercussão!

Danuza da Folha , logo entro em contato comigo / redes sociais .
Falei com ela , com muita tranquilidade !
Gente , não estava contando nada novo , a não ser minhas palavras publicadas em 30 anos .

Confesso que nunca achei que esta história tomasse esta dimensão !
E todos perguntam , porque agora ?
Porque até então trabalhava na rede globo , e meu nome sempre vinha relacionado a funcionária!
Não achava correto , ético .
Em dezembro fui dispensada da Globo .
Achei que estava agora livre para contar minhas memórias !

Monica Bergamo , desde 2004 , foi nomeada minha biografia oficial , tem gravações , e muitos documentos ! E como boa jornalista decidiu cutucar os que se acham intocáveis, com um documento!

E foi isto que incomodou : desvio de dinheiro, dúvidas!

Eu já disse o que queria dizer : fecho meu passado e tentarei recomeçar uma vida com outros trabalhos . Preciso trabalhar!

Não vendo minha vida , e tampouco coloco pessoas em situações difíceis .
Se elas se incomodam , devem ter motivos e isto não é meu problema !

Tenho uma conta no Twitter há anos , vou fechar hoje ! Por favor , quem são estas pessoas que passam o dia numa rede social ?
Deve não ter nada que fazer ! Mas existe vida fora das redes sociais !
Vão buscar funções , como limpar o Brasil do aedes e castigar o governo pela falta de sanidade!

Mais sobre Fernando Henrique Cardoso

Continuar lendo