Esplanada recebe 12,5% do público esperado para manifestações

Cinco mil pessoas foram aos atos, 4 mil contra o impeachment e mil a favor. Polícia registrou ocorrências e um homem foi preso por ultrapassar o bloqueio de segurança

Na mais otimista previsão da secretaria de Segurança, 40 mil manifestantes chegaram a ser esperados na Esplanada dos Ministérios para acompanhar a votação da admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma no Senado. O número de pessoas presentes, porém, segundo a Polícia Militar, foi de cinco mil pessoas - 4 mil contra o impeachment e mil a favor.

Durante grande parte do dia, o lado esquerdo da Esplanada, reservado aos manifestantes contra o impeachment, esteve mais cheio. A estrutura contava com um telão e um trio elétrico para animar os manifestantes, que já esperavam o resultado desforável ao final da votação. "Viemos para mostrar que o povo brasileiro não concorda com este processo. Lutamos contra aquele show da Xuxa que vimos no dia 17", disse a atriz Luaa Gabanini, do grupo Arte Pela Democracia, que, mesmo assumindo a derrota, fizeram uma performance na Esplanada contra o impeachment.

Já do lado pró-impeachment, os manifestantes improvisaram uma caixa de som ligada a um computador que transmitia para acompanhar a sessão do plenário do Senado. Levaram inúmeras faixas criticando o governo e apoiando o juiz Sérgio Moro. Para comemorar, espumante e coxinha. "Temos orgulho de sermos coxinha", disse Rodrigues Paiva, um dos manifestantes que estourava champagne no momento em que o 41º senador expressou o voto a favor da saída de Dilma.

Após o resultado, ainda que não oficial da votação, fogos de artifício do lado verde amarelo iluminavam a Esplanada. Enquanto do lado vermelho, garis recolhiam o lixo deixado pelos manifestantes contra impeachment.

Ocorrências

Por volta das 20 horas, manifestantes do lado contrário ao afastamento se exaltaram. Eles começaram a jogar pedras, pedaços de mastro de bandeiras e outros objetos contra os policiais militares que fazem a segurança em torno do Congresso. Os servidores de segurança usaram gás de pimenta para controlar as pessoas que avançavam em direção à proteção que limita o espaço de manifestações, na Alameda das Bandeiras. A Polícia Militar prendeu um homem que ultrapassou o bloqueio.

Em coletiva de imprensa pouco antes das 22 horas, o chefe da Comunicação Social da PM, coronel Antônio Carlos Freitas, informou ainda que duas pessoas passaram mal e foram encaminhadas ao Hospital de Base. Segundo ele, a reação da polícia militar foi a mais pacífica possível diante da ação dos manifestantes.

Com informações da Agência Brasília

Mais sobre o Brasil nas ruas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!