Erundina cria partido inspirado em novos socialistas europeus

O novo partido precisará reunir 486 mil assinaturas para tornar-se a 36ª legenda em funcionamento no Brasil

A deputada federal e ex-prefeita de São Paulo Luiza Erundina (PSB-SP) vai comandar no dia 22 de janeiro a plenária de fundação do seu próprio partido, a Raiz Movimento Cidadanista. Erundina foi a coordenadora da campanha de Marina Silva à Presidência da República nas eleições de 2014. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A criação da Raiz ocorrerá durante o Fórum Social Mundial, em Porto Alegre. A nova agremiação se inspira no Podemos, da Espanha, e Syriza, da Grécia, partidos de matriz socialista que surgiram na Europa nos últimos dois anos.

TSE

A futura agremiação já organizou diretórios em 21 Estados. No evento em Porto Alegre terá início a coleta de assinaturas para conseguir o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O novo partido precisará reunir 486 mil assinaturas para tornar-se a 36ª legenda em funcionamento no Brasil.

O fato de não ser viável atingir essa meta a tempo de disputar as eleições municipais de 2016, a Raiz discute um acordo de "filiação democrática" com o PSOL, conforme fizeram, em 2014, a Rede Sustentabilidade e o PSB.

A ideia é que o PSOL abra suas portas para que integrantes da Raiz concorram a prefeito e vereador. Quando a legalização junto ao TSE for concluída, os eleitos poderão migrar para o novo partido.

"Não há como fazer esse processo de filiação democrática com o PSB, pois ele está, hoje, mais próximo do PSDB. Nas próximas eleições, eles devem estar juntos. Não queremos fazer concessões", destaca Erundina.

Isolada

Erundina afirma que foi isolada pelo PSB, depois do primeiro turno das eleições do ano passado. No segundo, o partido apoiou a candidatura do senador Aécio Neves (MG), do PSDB.

"Fui isolada na bancada. Votaram contra meu nome na comissão que analisará o pedido de impeachment. Não sou mais alinhada com o PSB. Isso me constrange, pois sou uma pessoa de partido", afirma a deputada.

A Raiz adota o mesmo modelo de estrutura adotado pela Rede.

"Teremos uma forma circular e horizontal de funcionamento", detalha o historiador Célio Turino. Ex-porta-voz da Rede, ele é um dos fundadores da Raiz. A principal diferença entre os dois grupos é ideológica.

O novo partido, que pretende ocupar um vácuo criado no eleitorado que tradicionalmente votava no PT, já se manifestou oficialmente contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

"Somos contra o impeachment, mas temos críticas profundas ao governo Dilma", diz Erundina.

Mais sobre partidos

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!