Empresa alvo da Lava Jato recebeu R$ 112,8 milhões de ministério

Segundo as investigações da Operação Lava Jato, a empresa era utilizada pelo ex-deputado André Vargas para recebimento de propina. Esta agência também manteve contratos publicitários com a Caixa Econômica

A empresa de publicidade Borghi Lowe, investigada por indícios de desvios de recursos no ministério da Saúde na Operação Lava Jato, recebeu R$ 112,8 milhões da pasta desde 2011, conforme informações do jornal Folha de S. Paulo.

Em nota oficial, o ministério afirmou que determinou a "imediata suspensão dos pagamentos à agência". A empresa foi contratada por meio de processo licitatório em 2010. Além disso, o Ministério da Saúde também determinou a criação de uma sindicância para apurar a legalidade dos contratos da Borghi Lowe com a pasta.

Esta agencia também manteve contratos publicitários com a Caixa Econômica, mas os valores não foram revelados ainda. Segundo as investigações da Operação Lava Jato, a empresa era utilizada pelo ex-deputado André Vargas para recebimento de propina. A Borghi Lowe negou as irregularidades nos  contratos com o Ministério da Saúde.

Mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!