Em troca da desocupação do Eixo, Rollemberg recebe professores em greve

Audiência está prevista para esta tarde e foi aceita pelo governador com o compromisso do sindicato da categoria de que deixaria a via e o gramado em frente ao Palácio do Buriti, sede do governo. Em greve, professores prometiam não deixar o local se não fossem recebidos

Representantes dos professores da rede pública do Distrito Federal serão recebidos, na tarde desta quinta-feira (30), pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB). O encontro foi marcado ontem, no início da noite, depois que a categoria liberou o fluxo de veículos no Eixo Monumental, em frente à sede do Palácio do Buriti, sede do governo do DF. Essa foi a condição imposta pelo governador para atender o pedido de audiência do Sindicato dos Professores (Sinpro-DF). Eles prometiam não deixar o local caso não fossem recebidos.

Os manifestantes ocuparam o gramado e as faixas da via em frente ao Buriti por cerca de sete horas, o que causou transtornos no trânsito da capital durante boa parte do dia. O acesso foi desviado. Houve congestionamentos. No final da manhã um grupo tentou entrar no palácio. A Polícia Militar usou spray de pimenta para dispersar os sindicalistas.

O Sinpro pretende se reunir esta manhã e começar uma vigília em frente ao Buriti às 13h30. A reunião com o governador está prevista para as 14h. A pauta da categoria inclui a efetivação do plano de carreira, o pagamento de uma parcela do reajuste salarial acordado pelo governo anterior, de Agnelo Queiroz (PT), e melhores condições de trabalho.

A Justiça do Distrito Federal considera ilegal a greve dos professores, iniciada no último dia 15. E determinou o retorno imediato dos docentes à sala de aula sob pena de multa de R$ 100 mil por dia ao Sinpro. O sindicato recorre da decisão. O Palácio do Buriti anunciou que cortará o ponto dos faltosos. “O corte de ponto será aplicado a todas as categorias e, no caso da Educação, tem como propósito garantir que os alunos não fiquem sem aula”, alega o governo do Distrito Federal em nota.

Em greve, professores tentam entrar na sede do Governo do Distrito Federal

Continuar lendo