Em nota, secretário do STF pede desculpas a repórter

Presidente do STF se irritou com jornalista do Estadão ao ser questionado sobre críticas dirigidas contra ele por entidades de magistrados. Resposta "ríspida" ocorreu por cansaço e fortes dores

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, pediu desculpas nesta terça-feira (5) pelas respostas "ríspidas" dadas a um repórter do jornal O Estado de S. Paulo. Mais cedo, após sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Joaquim se irritou ao ser questionado sobre as críticas feitas por associações de magistrados por recentes declarações.

 

O áudio da conversa, divulgado nesta tarde, mostra o ministro falando para o repórter "vá chafurdar no lixo como você faz sempre". O jornalista tentava questioná-lo sobre as críticas feitas por associações de magistrados depois da entrevista dada a correspondentes estrangeiros na semana passada. Joaquim criticou cultura “pró-impunidade” de juízes, o sistema prisional e regras de prescrição vigentes.

Ele ainda chamou o repórter de “palhaço” logo em seguida, segundo o jornal. Esta parte, porém, não é captada pela gravação divulgada. Na nota, assinada pelo secretário de Comunicação do STF, Wellington Geraldo Silva, Joaquim atribui a reação ao "cansaço" e às "fortes dores" devido à longa sessão do CNJ. Também diz que é um episódio isolado e que não condiz com o histórico de relacionamento do ministro com a imprensa.

Leia a íntegra da nota:

"Nota à Imprensa - nº 01/2013

Brasília, 05 de março de 2013

Em nome do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministro Joaquim Barbosa, peço desculpas aos profissionais de imprensa pelo episódio ocorrido hoje, quando após uma longa sessão do Conselho Nacional de Justiça, o presidente, tomado pelo cansaço e por fortes dores, respondeu de forma ríspida à abordagem feita por um repórter. Trata-se de episódio isolado que não condiz com o histórico de relacionamento do Ministro com a imprensa.

O ministro Joaquim reafirma sua crença no importante papel desempenhado pela imprensa em uma democracia. Seu apego à liberdade de opinião está expresso em seu permanente diálogo com profissionais dos mais diversos veículos. Seu respeito pelos profissionais de imprensa traduz-se em iniciativas como o diálogo que iniciará no próximo dia 07 de março, quando receberá em audiência o Sr. Carlos Lauria, representante do Comitê para Proteção de Jornalistas (CPJ), ONG com sede em Nova Iorque.

Wellington Geraldo Silva
Secretário de Comunicação Social - SCO
Supremo Tribunal Federal"

Veja ainda:

A íntegra da polêmica entrevista de Joaquim
A íntegra da nota divulgada pelas entidades de magistrados

Curta o Congresso em Foco no Facebook
Siga o Congresso em Foco no Twitter

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!