Em nota, Dilma lamenta morte de Fernando Lyra

Ex-ministro da Justiça no governo de José Sarney morreu nesta quinta-feira após falência múltipla dos órgãos. Para a presidenta, ele foi um dos "mais expressivos defensores" da democracia brasileira

A presidenta Dilma Rousseff lamentou nesta quinta-feira (14) a morte do ex-ministro da Justiça e ex-deputado Fernando Lyra. Em nota oficial, ela ressaltou que Lyra foi um dos mais "expressivos defensores" da democracia brasileira. Ele estava internado desde 5 de janeiro no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas para tratar uma insuficiência cardíaca associada a quadro de infecção sistêmica e à insuficiência renal aguda.

Ex-ministro Fernando Lyra morre em São Paulo

Leia a íntegra da nota:

"A democracia brasileira perdeu hoje um de seus mais expressivos defensores, Fernando Lyra. Primeiro ministro da Justiça da redemocratização,  Lyra foi o responsável pelo fim da censura oficial, passo fundamental na reconquista da liberdade de expressão no País.

Exímio articulador político, Fernando Lyra foi um dos expoentes da formação da Aliança Democrática. Teve atuação relevante na Assembleia Nacional Constituinte e representou com brilho os eleitores de Pernambuco na Câmara dos Deputados por 28 anos. Em nome de todas as brasileiras e de todos os brasileiros, apresento meus votos de pesar a sua mulher, Márcia, suas três filhas, familiares e amigos, neste momento de dor.

Dilma Rousseff
Presidenta da República Federativa do Brasil"

Curta o Congresso em Foco no Facebook
Siga o Congresso em Foco no Twitter

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!