Em dia de eleição para os “hermanos”, uma homenagem a Cristina Kirchner

Hilária animação de site venezuelano mostra que, se a política tem seu lado negativo, o bom humor inteligente serve deixá-la mais interessante

Hoje (domingo, 23), dia de trégua política em meio à nova crise do governo Dilma, a uma “batalha” será travada em outro país. Mas, felizmente, de forma democrática, nas urnas, para a escolha do nome que comandará a Argentina nos próximos quatro anos. Os observadores da cena política já dão como certa a reeleição da presidenta Cristina Kirchner, que aparecia com mais de 50% dos votos sobre os demais candidatos.

E é à herdeira política e viúva do ex-presidente argentino Néstor Kirchner, morto em outubro do ano passado, que o Congresso em Foco faz uma homenagem bem-humorada: mais episódios da animação La isla presidencial, do site anarco-político venezuelano El Chiguire Bipolar (“a capivara bipolar”).

Trata-se de um passeio de barco promovido pelo então presidente Lula (a “saga” começa em 2009) com 12 chefes de Estado latino-americanos, ao final da 74ª Cúpula Ibero-Americana. Ocorre um naufrágio e, no melhor estilo da série de TV Lost, os presidentes de países da América Latina são obrigados a se refugiar numa ilha deserta. Um sarcástico narrador e um texto bem informado deixam a impagável trama, com caricaturas de morrer de rir, ainda mais interessante.

No quinto episódio da saga, “El avión”, os presidentes conseguem consertar os restos de um aparelho de rádio que sobrou dos destroços do naufrágio. Sempre juntos, o presidentes Hugo Chávez (Venezuela) e Evo Morales (Bolívia) se aproximam, assim como um arregalado Lula (o personagem é hilário, com seu “portunhol”), e ouvem um radialista dizer que a pobreza, nove meses depois do acidente marítimo, foi erradicada da América Latina. Mais: o produto interno bruto da região aumentou 153% e o crime “desapareceu por completo”. “Essas são só algumas coisas positivas que o naufrágio nos trouxe”, completa o locutor, “30 minutos después” de iniciada a transmissão.

É aí que uma interferência surpreende os resignados ouvintes presidenciais, e então inicia-se um diálogo entre o piloto de um avião e sua torre de controle, revelando-se a descoberta do paradeiro dos presidentes. “O motor está falhando...”, diz o piloto, no igualmente trágico momento em que o rádio pifa, soltando uma fumaça cinza. “Não!”, exclama um desesperado Rafael Correa (Equador). “Escutaram?”, pergunta Lula, mantendo a esperança. “Una isla... un avión... un motor... una explosión!”, tenta desvendar o “mistério” um intelectualmente limitado Chávez, enquanto no céu, ao fundo da cena, um rastro de fumaça mostra a queda de um aeroplano.

Bem, este texto agora se faz dispensável. Veja como acaba a cena de seis minutos e 41 segundos:

 

Por motivos quase óbvios, o alvo principal do site de humor é mesmo Hugo Chavez – que, no primeiro episódio, não faz nada, vive dando ordens e ainda protagoniza um ardente romance com o “índio Morales”! Aliás, uma discussão entre Chávez e o “americanizado” Álvaro Uribe (ex-presidente da Colômbia; o primeiro episódio é de 2009) sobre qual trajetória deveria seguir o barco com a cúpula latino-americana (esquerda ou direita?) foi o motivo do acidente que os levou à tal “isla”.

A referência cinematográfica fica por conta do nome da embarcação conduzida por Lula, “Chitaniqui II”, sarcasticamente pintado com as cores dos Estados Unidos. Ao timão (sem trocadilhos futebolísticos), um ébrio timoneiro Lula não segura a onda e colide com uma pedra gigantesca.

Confira:

Seminu, Lula bebe caipirinha e joga pelada em La isla presidencial

Assista a mais episódios de La isla presidencial:

Em pescaria, Lula cansa de ouvir Chávez e cai no mar

Confira todos os capítulos:

 

Continuar lendo