Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Em campanha em Nova York, Doria chama Moro de herói e publica fotos ao lado do juiz

Em uma festa de gala em Nova York, o juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, recebeu o prêmio de Personalidade do Ano, entregue pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. A premiação é concedida há mais de 40 anos a uma personalidade brasileira e uma americana. Pelos Estados Unidos, o homenageado foi o ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg, dono de uma das maiores fortunas do mundo.

O evento, realizado na noite dessa terça-feira (15) no Museu de História Natural, em Manhattan, reuniu cerca de mil lideranças de empresas internacionais, financeiras e diplomáticas. Do lado de fora, debaixo de chuva, um grupo de brasileiros defensores do ex-presidente Lula protestava contra a homenagem ao juiz, chamando o juiz e os demais convidados brasileiros de “golpistas” e pedindo a liberdade do petista, condenado por Moro. Dentro, o clima era outro: o magistrado ouviu gritos de “Moro presidente”.

Pré-candidato a governador de São Paulo, o ex-prefeito da capital paulista posou para várias fotos com Sérgio Moro e publicou três delas em seu Facebook. Nos Estados Unidos, o tucano, que recebeu o prêmio de Personalidade do Ano em 2017, tem dado entrevistas e participado de eventos como postulante ao governo do principal estado do país.

“Noite especial aqui em NY ao lado de duas pessoas que admiro: ex-prefeito de NY, Michael Bloomberg e o Juiz Sergio Moro, homenageados no ‘Person of the Year Awards’ (Personalidade do Ano), prêmio que também tive a honra de receber no ano passado”, escreveu o prefeito junto com as fotos.

Nesta quinta-feira, Moro participa de um evento em Nova York promovido pela Lide, empresa de Doria, sobre segurança jurídica e investimentos no Brasil. O ministro de Relações Institucionais, Carlos Marun, que também assistiu à premiação dessa terça-feira, representará o governo.

O tom eleitoral de Doria em Nova York ficou expresso na legenda de uma foto que postou ao lado do novo prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), que era seu vice.

“Pessoal, aqui em Nova York, ao lado do Bruno Covas, participei de um encontro para falar sobre as oportunidades do Plano Municipal de Desestatização para importantes investidores internacionais. Esta foi uma promessa de campanha que assumi, e fico muito feliz em ver a concretização deste projeto com o trabalho do Bruno. Para o Estado de São Paulo defendemos o mesmo: uma administração pública mais enxuta, eficiente e focada em atrair novos investimentos para gerar mais emprego e renda para o povo paulista. #GestãoEficiente”, escreveu.

Mais cedo, Doria havia postado outra foto: “Olá, pessoal. Estamos na sede da Bloomberg, aqui em NY, para uma bateria de entrevistas nos veículos do grupo sobre o cenário político no Brasil e no Estado de SP. O mundo está de olho nas nossas eleições. #AceleraSP”.

Essa não é a primeira premiação internacional de Moro. Ele foi escolhido como uma das personalidades do ano, em 2016, pela revista Time e apontado como um dos grandes líderes mundiais pela Fortune.

Moro presidente

Em seu discurso, Moro afirmou que sua premiação legitima a luta contra a corrupção no Brasil, conforme relata O Globo. “Este prêmio também significa que o setor privado no Brasil e nos Estados Unidos apoia o movimento anticorrupção brasileiro e isso faz grande diferença, disse o juiz. Ele foi ovacionado várias vezes e, quando subia ao palco, ouviu o grito de “Moro presidente!”.

“Há muito a ser feito: continuar as reformas, consolidar a democracia, retomar o desenvolvimento, melhorar a qualidade dos servido públicos de segurança, educação e saúde e enfrentar a pobreza e a desigualdade. Tudo isso só é possível sem a impunidade da grande corrupção”, discursou.

Moro foi apresentado por Doria, como vencedor da edição anterior. O pré-candidato a governador chamou o juiz da Lava Jato de “herói nacional”, pediu “salvas de palmas de todos em pé” e disse que este é o “Brasil dos homens de bem”, em crítica aos brasileiros que protestavam contra Moro no lado de fora do museu.

Veja trecho da manifestação:

Continuar lendo