Eleitor quer prioridade para saúde, segurança e educação, diz CNI/Ibope

Pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria mostra lista de prioridades do eleitor brasileiro para este ano eleitoral. Na lista dos principais problemas, os itens mais lembrados foram a saúde, a violência, as drogas e a educação

A saúde, a segurança pública e a educação são, em ordem decrescente, os temas que deveriam ser tratados como prioridade pelo governo federal em 2014, segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira (12) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O combate à violência e à criminalidade e a melhoria da qualidade da educação aparecem na sequência, de acordo com o levantamento, feito em parceria com o Ibope. Para a maioria dos entrevistados, a saúde é o principal problema do Brasil, seguido pela falta de segurança e pela violência.

O Ibope ouviu 15.414 eleitores de todo o país entre 23 de novembro e 2 de dezembro de 2013. O combate à corrupção aparece como a sexta prioridade e o sexto maior problema do país, na avaliação dos entrevistados. Os dados fazem parte da pesquisa “Retratos da Sociedade Brasileira: Problemas e Prioridades do Brasil para 2014”, da Confederação Nacional da Indústria.

De acordo com a pesquisa, 49% dos entrevistados querem que o governo federal priorize a melhoria da saúde neste ano eleitoral. Para 31%, o combate à violência e à criminalidade deveria ser a principal preocupação do governo; para 28%, a atenção prioritária deveria ser dada à melhoria da educação. O combate às drogas (23%), o aumento do salário mínimo (23%) e o combate à corrupção (20%) vêm na sequência. A soma passa dos 100% porque cada entrevistado poderia assinalar até três opções.

A saúde foi apontada como o principal problema do Brasil por 58% dos entrevistados. A segurança pública e a violência (39%), as drogas (33%), a educação (31%) e a corrupção (27%) aparecem logo em seguida na lista das grandes preocupações do brasileiro, segundo a pesquisa Ibope/CNI.

Renda e escolaridade

O levantamento mostra que os problemas e as prioridades defendidas variam conforme a região e a renda familiar dos entrevistados. "Os resultados da pesquisa mostram quais são as insatisfações do brasileiro. Esses problemas não são novos e devem ser priorizados não só por esse governo, como também pelos próximos. Não são questões de solução fácil e que possam ser resolvidas no curto prazo", afirma o gerente de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca.

Os entrevistados com maior grau de escolaridade e com uma renda familiar mais elevada, por exemplo, citam a melhoria da qualidade da educação, o combate à corrupção, a redução dos impostos e o controle da inflação como os principais problemas a serem atacados. Itens como o aumento do salário mínimo e as políticas de promoção do emprego são considerados mais importantes pelos que têm mais baixa escolaridade.

A pesquisa também mostra que muda as preocupações mudam de acordo com o tamanho do município pesquisado. A saúde continua como grande problema a ser enfrentado, na opinião de moradores tanto de cidades grandes quanto pequenas. A segurança pública ocupa o segundo lugar nos municípios com mais de 20 mil habitantes. Mas é superada pela geração de empregos na lista das preocupações dos moradores de localidades com população inferior.

Quais deveriam ser a prioridades do governo federal em 2014, na avaliação dos entrevistados*:

Melhorar os serviços de saúde: 49%

Combater a violência e a criminalidade: 31%

Melhorar a qualidade da educação: 28%

Aumentar o combate às drogas: 23%

Aumentar o salário mínimo: 23%

Combater a corrupção: 20%

Promover a geração de empregos: 18%

Reduzir os impostos: 17%

Reduzir os gastos públicos: 14%

Controlar a inflação: 14%

Ampliar os programas de combate à pobreza: 9%

Ampliar os programas de habitação/moradia popular: 8%

Ampliar os programas sociais, como Bolsa Família, etc: 7%

Aumentar investimentos em estradas e rodovias: 4%

Promover a reforma política: 3%

Reduzir a burocracia: 3%

Promover mais investimentos em transporte urbano: 3%

Promover programas de saneamento básico: 3%

Ampliar as linhas de crédito para pequenos negócios: 2%

Promover políticas de proteção ao meio ambiente: 2%

Investir na ampliação da produção de energia: 1%

Aumentar os investimentos nas obras para a Copa do Mundo: 1%

Não souberam ou não quiserem responder: 2%

Prioridades para as pessoas que têm renda familiar de até um salário mínimo*:

1º. Melhorar os serviços de saúde: 47%

2º. Combater a violência e a criminalidade: 30%

3º. Aumentar o salário mínimo: 28%

4º. Promover a geração de empregos: 26%

5º. Melhorar a qualidade da educação: 22

Prioridades para as pessoas com renda familiar acima de 10 salários mínimos*:

1º. Melhorar os serviços de saúde: 40%

2º. Melhorar a qualidade da educação: 31%

3º. Combater a criminalidade e a violência/ Reduzir impostos: 27%

4º. Controlar a inflação/ Combater a corrupção: 23%

5º. Reduzir os gastos públicos: 20%

*A soma dos percentuais é maior que 100% porque era permitido escolher até três opções.

Fonte: Pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira: Problemas e Prioridades do Brasil para 2014, elaborada pela CNI em parceria com o Ibope entre os dias 23 de novembro a 2 de dezembro de 2013.

Mais sobre eleições 2014

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!