Doria usa avião de advogado que atua em casos envolvendo a Prefeitura de São Paulo

 

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), usou por pelo menos duas vezes o jatinho particular do advogado Nelson Wilians. Nelson é representante em mais de 60 ações contra a prefeitura da capital paulista e também advoga em nome de Doria, da primeira-dama Bia Doria e do Lide, empresa que era do prefeito até o ano passado e agora é gerida pelo filho do tucano. As informações foram veiculadas nesta terça-feira (19) pelo jornal Valor Econômico.

<< Doria admite deixar o PSDB para concorrer ao Planalto: “Cabe a Deus indicar, iluminar e definir qual é o destino”

As duas viagens feitas por Doria, de acordo com o jornal, foram em 30 de abril, em um compromisso pessoal, quando foi ao casamento da filha do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), em Pirenópolis. Já em 14 de agosto, segunda ocasião em que Doria usou o avião do advogado, o prefeito cumpria agenda em um evento do PSDB no Tocantins. Lá, Doria foi recebido como presidenciável, inclusive com faixas que pediam sua candidatura a presidente da República em 2018. Doria é tido como um dos presidenciáveis do PSDB tem gerado tensão dentro da sigla por uma disputa velada com seu padrinho político, Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, pela candidatura à Presidência da República nas eleições do ano que vem.

O escritório do advogado representa pessoas físicas e jurídicas em ações civis contra a prefeitura. São 63 ações listadas no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). A última dessas ações no Tribunal, de acordo com o Valor, foi em março deste ano, já com Doria na prefeitura.

Procurado, o advogado primeiro afirmou que “não se lembrava” de ter ações contra a prefeitura. Depois, ao ser informado pela reportagem que é possível vê-las no site do TJ-SP, o advogado disse que a maioria das ações está extinta e que os casos não estão sob sua “condução direta e pessoal”.

“Ademais, sob nenhum ponto de vista que se avalie a situação configurar-se-ia qualquer tipo de conflito de interesses, vez que o escritório não possui vínculo contratual com a prefeitura. Sou advogado do empresário João Doria nas questões privadas e empresariais e não em relação à função pública", disse em nota.

Segundo os advogados ouvidos pela reportagem do jornal paulista, Doria se arrisca ao viajar na aeronave de Wilians. A atitude pode levantar debate sobre conflito de interesses.

O prefeito afirmou que parcela suas passagens em cinco vezes e as paga com seu próprio dinheiro. Antes de embarcar para Porto Alegre (RS) ontem (segunda-feira, 19), ele publicou vídeo gravado em frente ao seu jato particular. “Viajo no meu dinheiro, com meu avião, não uso recursos públicos para fazer isso. Faço isso de forma dinâmica e objetiva, fazendo o melhor por São Paulo,” afirmou, aproveitando para acusar o PT, que pediu investigação sobre as viagens do prefeito. Ele disse que sua resposta era direcionada ao PT, “que não gosta de trabalhar e reclama de quem trabalha”.

Na semana passada, o Ministério Público acatou pedido apresentado pelo PT e decidiu investigar as viagens de Doria em horário de expediente, para apurar se o prefeito usou dinheiro público para se promover.

 

<< Leia a íntegra da reportagem do jornal Valor Econômico

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!