Doleiro Alberto Youssef é condenado em um dos processos do caso Banestado

Denúncia foi proposta pelo Ministério Público em 2003, mas foi suspensa em função de um acordo de delação premiada. Mas Youssef voltou a cometer crimes

A Justiça Federal no Paraná condenou hoje (17) doleiro Alberto Youssef a quatro anos e quatro meses de prisão por corrupção ativa em um dos processos do caso Banestado. De acordo com a sentença, ficou provado que Youssef fez um empréstimo fraudulento de U$S 1,5 milhão no Banco do Estado do Paraná por meio do pagamento de propina ao então diretor institucional da instituição em 1998.

O doleiro já está preso devido às acusações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal. A denúncia foi proposta pelo Ministério Público Federal (MPF) em 2003, mas foi suspensa em função de um acordo de delação premiada. Como Youssef voltou a cometer os crimes investigados na Operação Lava Jato, o acordo foi quebrado e a ação voltou a tramitar neste ano.

Em 2003, Youssef foi preso pela Polícia Federal em consequência das investigações da CPI do Banestado. O doleiro foi acusado de ser responsável por dezenas de contas-fantasmas para enviar dinheiro de origem ilícita para fora do país. A investigação foi conduzida pelo juiz Sergio Fernando Moro, que também é responsável pelos processos da Lava Jato.

 

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!