DEM protocola pedido de convocação de ex-contadora de doleiro preso

Participação de Meire Poza é considerada crucial para o desfecho da CPI, segundo oposicionistas. Ela é ex-contadora do doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato

O DEM protocolou, nesta segunda-feira (11), requerimento para que a CPI mista da Petrobras convoque Meire Poza, ex-contadora do doleiro Alberto Youssef, preso desde março último na Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal (PF) para desbaratar esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado R$ 10 bilhões.

Para o DEM, a participação de Meire Poza é crucial para o desfecho da CPI, instalada no Congresso para apuração de supostas irregularidades envolvendo a estatal.

Em entrevista à revista Veja, Meire revelou detalhes sobre como funcionava o esquema desbarato pela PF. Seus beneficiários, segundo ela, seriam empreiteiras, políticos e agentes públicos.

Conforme o relato da contadora, que trabalhou com o doleiro durante três anos, o deputado federal André Vargas (ex-PT-PR) ajudou Youssef a lavar R$ 2,4 milhões por meio de uma empresa do Paraná. Ela disse à revista que o esquema de Youssef envolvia parlamentares do PT, do PMDB e do PP.

O DEM também apresentou requerimento à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara para que Meire seja convidada a  prestar depoimento.

Ontem, o relator da CPI mista, deputado Marco Maia (PT-RS), declarou que a contadora é agora "peça chave" da investigação, assim como o próprio Youssef. E que ele mesmo pediria a convocação de Meire.

 

Mais sobre a Operação Lava Jato

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!