Dilma tenta clemência de brasileiros, mas Indonésia rejeita

Presidenta conversou por telefone com o chefe de Estado indonésio, Joko Widodo, sobre a situação de Marco Archer Cardoso Moreira e Rodrigo Muxfeldt Gularte, condenados à pena de morte por tráfico de drogas no país

O presidente da Indonésia, Joko Widodo, rejeitou nesta sexta-feira (16) o pedido de clemência feito pela presidenta Dilma Rousseff aos brasileiros Marco Archer Cardoso Moreira e Rodrigo Muxfeldt Gularte, condenados à morte pela Justiça indonésia por tráfico de drogas. A execução de Marcos está prevista para o sábado (17) e a de Rodrigo pode ocorrer em fevereiro.

De acordo com nota da Secretaria de Imprensa do Planalto (SIP), Dilma conversou com Widodo na manhã de hoje por telefone. Ela disse ter consciência da gravidade dos crimes cometidos pelos dois e que respeita a soberania e o sistema judiciário da Indonésia. No entanto, fez o apelo pela clemência como chefe de Estado e como mãe. Ela reforçou que no Brasil não há pena de morte e que o pedido tem como base “o sentimento da sociedade brasileira”.

No entanto, o apelo de Dilma, que desde o início do seu governo enviou cartas ao governo indonésio pedindo clemência, não surtiu efeito. “O Presidente Widodo disse compreender a preocupação da Presidenta com os dois cidadãos brasileiros, mas ressalvou que não poderia comutar a sentença de Marco Archer, pois todos os trâmites jurídicos foram seguidos conforme a lei indonésia e aos brasileiros foi garantido o devido processo legal”.

O paranaense Rodrigo Muxfledt Gularte, 42 anos, está preso desde 2004 na Indonésia, quando tentou entrar no país com cocaína. Já Marcos, 53 anos, foi detido em 2003 após ser flagrado no aeroporto de Jacarta com 13 quilos da mesma droga escondidos em tubo de asa delta. Conseguiu escapar e passou duas semanas foragido. Ambos serão executados por um pelotão de fuzilamento.

Leia a nota da SIP:

"NOTA À IMPRENSA – TELEFONEMA DA PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF AO PRESIDENTE DA INDONÉSIA

A Presidenta Dilma Rousseff falou ao telefonou, na manhã de hoje, 16 de janeiro, com Presidente da Indonésia, Joko Widodo, para transmitir apelo pessoal em favor dos cidadãos brasileiros Marco Archer Cardoso Moreira e Rodrigo Muxfeldt Gularte, condenados à morte pela Justiça da Indonésia e na iminência de serem executados.

A Presidenta ressaltou ter consciência da gravidade dos crimes cometidos pelos brasileiros. Disse respeitar a soberania da Indonésia e do seu sistema judiciário, mas como Chefe de Estado e como mãe, fazia esse apelo por razões eminentemente humanitárias. A Presidenta recordou que o ordenamento jurídico brasileiro não comporta a pena de morte e que seu enfático apelo pessoal expressava o sentimento da sociedade brasileira.

O Presidente Widodo disse compreender a preocupação da Presidenta com os dois cidadãos brasileiros, mas ressalvou que não poderia comutar a sentença de Marco Archer, pois todos os trâmites jurídicos foram seguidos conforme a lei indonésia e aos brasileiros foi garantido o devido processo legal.

A Presidenta Dilma reiterou lamentar profundamente a decisão do Presidente Widodo de levar adiante a execução do brasileiro Marcos Archer, que vai gerar comoção no Brasil e terá repercussão negativa para a relação bilateral.

SIP/ SECOM"

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!