Dilma: TCU foi justo ao não bloquear bens de Graça Foster

“Era uma questão de justiça. Sempre declarei que a Graça Foster é uma pessoa íntegra, competente, capaz e extremamente dedicada”, declarou a presidenta

Dividindo-se entre campanha e gestão, a presidenta Dilma Rousseff classificou hoje (quarta, 27) como justa a decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) em não bloquear os bens da presidente da Petrobras, Graça Foster. A dirigente é investigada no processo que apura irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Dizendo-se “feliz”, Dilma aproveitou para elogiar Foster.

“Eu acho que se fez justiça. Se a maioria do TCU decidiu [não determinar o bloqueio], já se fez justiça. Era uma questão de justiça, eu sempre declarei que a Graça Foster é uma pessoa íntegra, competente, capaz e extremamente dedicada. Fico feliz com essa informação”, declarou Dilma, que hoje almoçou com o candidato do PR ao Governo do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho. Nesta noite, a presidenta reúne, em Brasília, representantes dos nove partidos de sua coligação para discutir a campanha (PT, PMDB, PSD, PP, PR, PROS, PDT, PCdoB e PRB).

Graça Foster esteve ameaçada pelo bloqueio de bens para que fosse assegurado eventual ressarcimento à estatal. Como ficou comprovado em auditorias, houve prejuízo na compra da refinaria de Pasadena. No entanto, a decisão favorável a Foster ainda não foi proclamada, devido ao pedido de vista do processo feito pelo ministro Aroldo Cedraz.

Mais sobre Petrobras

Mais sobre a Operação Lava Jato

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!