Dilma rechaça conflitos com o PMDB

Após demitir o ministro do Turismo, Dilma minimiza conflitos com o PMDB que, de fato, não reverberaram nos discursos proferidos no Fórum Nacional do PMDB

Um dia depois de demitir o ministro do Turismo, Pedro Novais , acusado de utilizar dinheiro público para pagar uma governanta e um chofer, a presidenta Dilma Rousseff compareceu ao Fórum Nacional do PMDB, que acontece hoje (15) em Brasília. Diante de uma plateia de quase duas mil pessoas, a presidenta fez questão de ressaltar a importância do PMDB para o funcionamento de seu governo.

Publicamente, Dilma deixou o recado de que não há crise entre PT e PMDB. "Estou aqui muito feliz em falar com vocês. O PMDB é o maior partido do Brasil e é essencial para este governo". A presidenta aproveitou para agradecer também o apoio que recebeu no ano passado para a sua candidatura à Presidência da República. Afirmou que a aliança com o PMDB foi fundamental para sua vitória.

Dilma reforçou que as propostas apresentadas pelo partido são essenciais para o desenvolvimento do governo. "Por isso considero a pauta desse encontro muito oportuna, porque são temas que vamos discutir nas eleições de 2012", afirmou. Dentre os principais, Dilma citou compromissos de governo como a melhoria da segurança no país e os investimentos já realizados no campo da educação, como a criação de quatro novas universidades e mais de 208 escolas técnicas instaladas no interior do país. No campo da saúde, a presidenta ressaltou a importância do PMDB para apoiar a criação do programa que distribuirá remédios para hipertensos e diabéticos gratuitamente.

Sem voz, o vice-presidente Michel Temer discursou por menos de cinco minutos. Mas seguiu a estratégia de ressaltar a união entre os dois partidos."Nós, ao lado da presidenta Dilma, estamos construindo o Brasil. E ela conta com todo o apoio do PMDB", disse. De acordo com o peemedebista, "o objetivo do partido neste momento é justamente se manter fortes e unidos como estamos hoje, assim podemos colaborar mais com o Brasil e com o governo de que nós participamos", disse.

Liberdade de imprensa

As principais propostas apresentadas pelo partido dizem respeito a universalização do ensino médio, saúde pública gratuita e de qualidade, participação da sociedade nas questões de segurança e garantia de estabilidade econômica. Um dos pontos mais polêmicos das propostas é a garantia da liberdade de imprensa, proposta que esbarra no preceito do PT de regulamentar a comunicação social no país. O PMDB deverá se reunir em novembro para consolidar as propostas que foram apresentadas hoje.

Um dia depois de demitir o ministro do Turismo Pedro Novais, acusado de utilizar dinheiro público para pagar uma 

governanta e um choffer, a presidenta Dilma Rousseff compareceu ao Fórum Nacional do PMDB, que acontece hoje (15)

em Brasília. Diante de uma plateia de quase duas mil pessoas, a presidenta fez questão de ressaltar a importância

do PMDB para o funcionamento de seu governo.

Publicamente, Dilma deixou o recado de que não há crise entre PT e PMDB. "Estou aqui muito feliz em falar com

vocês. O PMDB é o maior partido do Brasil e é essencial para este governo". A presidenta aproveitou para agradecer

também o apoio que recebeu no ano passado para a sua candidatura á Presidência da República. Afirmou que a aliança

com o PMDB foi fundamental para sua vitória.

Dilma reforçou que as propostas apresentadas pelo partido são essenciais para o desenvolvimento do governo. "Por

isso considero a pauta desse encontro muito oportuna, porque são temas que vamos discutir nas eleições de 2012",

afirmou. Dentre os principais, Dilma citou compromissos de governo como a melhoria da segurança no país e os

investimentos já realizados no campo da educação como a criação de quatro novas universidades e mais de 208 escolas

técnicas instaladas no interior do país. No campo da saúde, a presidenta ressaltou a importância do PMDB para

apoiar a criação do programa que distribuirá remédios para hipertensos e diabéticos gratuitamente.

Afônico, o vice-presidente Michel Temer não discursou por mais do que cinco minutos. Mas seguiu a estratégia de ressaltar a união entre os dois partidos."Nós, ao lado da presidente Dilma, estamos construindo o Brasil. E ela conta com todo o apoio do PMDB", disse. De acordo com o peemedebista, "o objetivo do partido nesse momento é justamente se manter fortes e unidos como estamos hoje, assim podemos colaborar mais com o Brasil e com o governo de que nós participamos", disse.

As principais propostas apresentadas pelo partido dizem respeito a universalização do ensino médio, saúde pública gratuita e de qualidade, participação da sociedade nas questões de segurança e garantia de estabilidade econômica. Um dos pontos mais polêmicos das propostas é a garantia da liberdade de imprensa, proposta que esbarra no preceito do PT de regulamentar a comunicação social no país. O PMDB deverá se reunir em novembro para consolidar as propostas que foram apresentadas hoje.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!