Dilma recebe aliados para articular aprovação da nova meta fiscal

Votação está prevista para esta noite no Congresso. Presidente também está preocupada com demora na análise de propostas do pacote fiscal

A presidente Dilma Rousseff recebeu nesta manhã, no Palácio da Alvorada, líderes dos partidos da base aliada na Câmara e no Senado para discutir a votação da revisão da meta fiscal. A votação, que também inclui a análise de vetos, está prevista para as 19h desta terça-feira (1º) em sessão conjunta de deputados e senadores.

Dilma desembarcou nesta madrugada em Brasília, vinda de Paris, onde participou da Conferência das Partes (COP 21). Ela cancelou a viagem que faria da Europa para o Japão e o Vietnã devido à necessidade de aprovar a revisão da meta. O governo publicou nessa segunda-feira decreto cortando R$ 10 bilhões do orçamento das chamadas despesas discricionárias, aquelas que não são obrigatórias, para não ser enquadrada na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

A meta em vigor prevê superávit de R$ 55 bilhões. Pela proposta enviada pelo Executivo, o cenário é bem diferente: a previsão é de um déficit que pode chegar a R$ 119,9 bilhões. A votação no Congresso estava marcada para a semana passada, mas acabou adiada após a prisão do então líder do governo, Delcídio do Amaral (PT-MS), acusado de tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato.

Além de líderes aliados, também participaram do encontro com a presidente os ministros Nelson Barbosa, do Planejamento, e Ricardo Berzoini, da Secretaria de Governo, e o vice-presidente Michel Temer.

O governo também está preocupado com a conclusão da votação das medidas do ajuste fiscal, como a prorrogação da Desvinculação das Receitas da União (DRU), a recriação da CPMF e a repatriação de bens não declarados no exterior.

Mais sobre economia brasileira

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!