Dilma avalizará ajuste e pedirá unidade na primeira reunião ministerial

Em encontro com seus 39 ministros, presidente defenderá a necessidade do governo de cortar gastos e promover o ajuste fiscal, mas sem abandonar a retórica social

Na primeira reunião com os ministros de seu segundo governo, a presidente Dilma Rousseff defenderá, na tarde desta terça-feira (27), a necessidade de cortar gastos e promover o ajuste fiscal, mas sem abandonar a retórica social. Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, a presidente pretende fazer um discurso otimista, pedir unidade aos seus 39 ministros e apontar o ciclo de oportunidades que o país terá após superar as dificuldades na economia. Ela também vai pedir empenho e criatividade de todos para que o governo enfrente o desgaste das medidas impopulares.

O encontro será realizado na Granja do Torto, casa de campo da Presidência, e será sucedido por um jantar de confraternização entre Dilma e seus auxiliares do primeiro escalão. Ainda segundo o Estadão, a petista escalou os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Tereza Campelo (Desenvolvimento Social) para fazerem uma apresentação ao restante da equipe.

Levy explicará as novas medidas econômicas adotadas pelo governo, consideradas ortodoxas e conservadoras por uma parte do PT. Já Tereza falará sobre os resultados na área social do programa Brasil sem Miséria.

De acordo com o Estadão, Dilma também dirá que os direitos dos trabalhadores serão respeitados, mesmo com o endurecimento das regras para a concessão de benefícios como auxílio-doença, seguro-desemprego e abono salarial, medidas anunciadas para provocar economia de R$ 18 bilhões por ano aos cofres públicos. As mudanças enfrentam resistência de parte do PT e de sindicalistas, que veem nas alterações das regras a restrição de direitos trabalhistas, o que vai na contramão do discurso da petista durante sua campanha eleitoral.

Leia a reportagem do Estadão

Mais sobre Dilma

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!