Dilma: autor de boato é desumano e criminoso

Após cerimônia em Pernambuco, presidenta da República disse que compromisso do governo com o Bolsa Família é "forte, profundo e definitivo". Discurso é uma resposta às informações falsas sobre a suspensão do programa

A presidenta Dilma Rousseff criticou nesta segunda-feira (20) o boato de que o programa de transferência de renda Bolsa Família teria sido suspendido. Em discurso em Pernambuco, ela afirmou que o autor das informações falsas é "desumano" e um "criminoso". Informação falsa levou centenas de pessoas a agências da Caixa Econômica Federal em cidades nordestinas no sábado para sacar o benefício.

"É algo absurdamente desumano o autor desse boato. Por isso, além de ser desumano, ele é criminoso, por isso nós colocamos a Polícia Federal para descobrir a origem de um boato que tinha por objetivo levar a intranquilidade aos milhões de brasileiros que nos últimos dez anos estão saindo da pobreza extrema", afirmou. No domingo, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou que a Polícia Federal vai investigar o caso.

No discurso, Dilma pediu para as pessoas não acreditarem nos pessimistas e nos boatos, 'porque os boatos, neste país, às vezes ocorrem de forma surpreendente". "Eu queria deixar, e aproveitar aqui a imprensa e deixar claro: o compromisso do meu governo com o Bolsa Família é um compromisso forte, profundo e definitivo. Nós não abriremos mão do Bolsa Família, assim como não abriremos mão do nosso compromisso com o conteúdo nacional para a indústria naval", disse.

De acordo com a presidenta, estão cadastradas atualmente no Bolsa Família 36 milhões de pessoas para receber o mínimo de R$ 70 por pessoa. "E quero dizer para vocês que esse dinheiro do governo é sagrado, ou seja, nós iremos garantir sempre esse recurso, sempre, enquanto for necessário e tiver algum brasileiro vivendo abaixo da linha da pobreza, nós iremos buscar esse brasileiro, essa família, essa mãe, iremos garantir a ele esse direito de cidadania, que é viver com um mínimo de dignidade no nosso país", completou.

Sobre a entrada em operação do navio-petroleiro Zumbi, Dilma afirmou que o crescimento da produção de petróleo no país nos próximos anos vai estimular a indústria naval nacional. "Não há como produzir isso sem construir plataformas, navios, equipamentos. Não há como produzir petróleo sem empregos qualificados", comentou.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!