Dilma: ataque ao Instituto Lula é intolerância

Para presidente, bomba arremessada contra sede de órgão comandado por seu antecessor é atitude que não condiz com a cultura de tolerância e de respeito à diversidade do povo brasileiro

A presidente Dilma Rousseff condenou o ataque realizado contra o Instituto Lula na noite de quinta-feira, 30, em São Paulo. Em suas contas no Facebook e no Twitter, a petista disse que o ato é inaceitável. “A intolerância é o caminho mais curto para destruir a democracia", disse a presidente. "Jogar uma bomba caseira na sede do Instituto Lula é uma atitude que não condiz com a cultura de tolerância e de respeito à diversidade do povo brasileiro", emendou.

O ataque foi classificado pelo Instituto Lula e pelo PT como um atentado político. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou à Polícia Federal que dialogue com autoridades paulistas para, dentro da sua competência, analisar o que aconteceu e tomar as decisões necessárias. A Polícia Civil de São Paulo apura o caso. “Evidentemente, é uma situação que merece investigação. Claro, identificados os autores de uma iniciativa dessa natureza, é necessário puni-los”, afirmou o ministro.

O presidente do PT, Rui Falcão, atribuiu o lançamento da bomba contra o Instituto Lula a uma campanha de ódio contra o partido, difundida, segundo ele, por setores da imprensa e pelas redes sociais. "Inaceitável essa escalada de ódio contra o PT. Consequência da criminalização proporcionada por alguns setores da sociedade", criticou. Outros dois diretórios regionais da legenda foram alvo de violência em São Paulo este ano.

Assista ao momento do ataque:

Mais sobre Lula

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!