Dilma anuncia R$ 2,6 bi para transporte e combate a enchentes

Em São Paulo, nova linha do metrô vai ligar o centro e as regiões oeste e norte da cidade, passando por bairros como Liberdade e Freguesia do Ó

A presidente Dilma Rousseff esteve em São Paulo nesta quinta-feira (26) para anunciar investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para melhorar a mobilidade urbana e combate às enchentes. O governo federal investirá, nos dois programas, um total de R$ 2,6 bilhões.

Ao custo de 1,6 bilhão, a construção da linha do metrô número 6 – Laranja vai ligar o centro e as regiões oeste e norte da cidade, passando por bairros como Liberdade, Freguesia do Ó e Brasilândia, totalizando 16 quilômetros. A linha Laranja atenderá várias universidades, como a Fundação Armando Álvares Penteado, Faculdade Getulio Vargas e a Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Participaram da assinatura dos contratos, o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, e o governador Geraldo Alckmin. “Esta será a linha das universidades, importante para a qualidade de vida dos estudantes”, destacou o governador.

Além do metrô, o governo federal vai investir R$ 2 milhões em corredores exclusivos de ônibus, no total de 51 quilômetros. “É o metrô sobre rodas, porque permite rapidez maior. É como ir da cidade de São Paulo até Ferraz de Vasconcelos”, disse Dilma.

Duas cidades da região metropolitana também vão receber investimentos em mobilidade. Em Mauá, um viaduto vai ser construído exclusivamente para o transporte coletivo e, em Ribeirão Pires, serão feitas a transposição de via férrea, que reduzirá em 25 minutos o percurso entre o centro e o bairro, além de faixas de transporte coletivo. No total, as intervenções nas duas cidades custarão R$ 96,5 milhões.

No combate às enchentes, quatro reservatórios de água, ao custo de R$ 651 milhões vão auxiliar no escoamento de água fluvial no município. Além disso,  serão  efetuadas intervenções em bacias da cidade. “Nós sabemos que a chuva, quando causa enchentes, impõe perdas e coloca em risco a vida das pessoas, crianças, dos adultos, e também, numa cidade desta dimensão, cria problemas de fluidez no tráfego”, destacou a presidente.

Depois do encontro na capital paulista, a presidenta Dilma segue para a cidade de Santos, no litoral paulista, onde vai anunciar melhorias para a região da Baixada Santista.

Mais sobre transporte

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!