Dilma: acordo da OMC é “amplamente favorável” para o Brasil

Em sua conta no Twitter, presidenta diz que acordo global fortalece o sistema multilateral de comércio e o país. Ela atribui o destravamento da Rodada de Doha ao acerto do governo em indicar diplomata brasileiro para a organização

A presidenta Dilma Rousseff comemorou, no Twitter, o acordo internacional que pretende tornar mis ágil o comércio entre os países. Ela atribuiu o destravamento da chamada Rodada de Doha à indicação feita pelo Brasil do diplomata brasileiro Roberto Azevêdo para comandar a Organização Mundial do Comércio (OMC). “O acordo de Bali demonstra nosso acerto ao indicar o diplomata brasileiro Roberto Azevêdo p/ dirigir a #OMC”, escreveu a presidenta.

Segundo Dilma, o acordo anunciado no último sábado (7) fortalece o sistema multilateral de comércio e traz resultados “amplamente positivos” para o Brasil. “Facilitam o acesso de nossos produtos a mercados em todo o mundo, ao simplificar e desburocratizar procedimentos aduaneiros”, ressaltou Dilma.

A presidenta também defendeu que as saídas para os impasses globais estão em acordos multilaterais, nos quais todos têm voz, e não na imposição dos países mais fortes.

Roberto Azevêdo conseguiu costurar o primeiro acordo global para facilitar o comércio entre os países dos últimos 20 anos três meses após ter assumido a direção-geral da OMC. "Pela primeira vez em sua história, a OMC cumpriu com suas promessas", disse o diplomata brasileiro, que é o primeiro latino-americano a assumir o comando da organização. Ele foi escolhido após consulta aos 159 países membros.

Leia mais sobre economia

Outros textos sobre política externa

Nosso jornalismo precisa de sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!