Deputados rejeitam convocação de ministro da CGU

Oposição defendia presença de Jorge Hage para explicar ações do órgão em relação às denúncias de irregularidades em ministérios

A Câmara rejeitou nesta terça-feira (23) a convocação do ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage. A intenção do DEM, que apresentou o requerimento em plenário, era que ele explicasse as ações do órgão em relação às denúncias de irregularidades em vários ministérios.

Ao defender a aprovação do requerimento, o líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), fez um apelo os deputados da base governista. Disse que, se votassem a favor da convocação, eles estariam valorizando a ação parlamentar e as prerrogativas constitucionais. "Nós queremos buscar esclarecimento dos ministros", disse o demista.

Governistas argumentaram que a convocação de Hage é sem sentido, já que foi aprovado convite para ele comparecer à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC). "Nunca um ministro foi convocado para responder sobre denúncias no plenário da Câmara, que é um lugar soberano. A oposição quer criar fato político", disse o líder do governo na Casa, Cândido Vaccarezza (PT-SP). Foi questionado durante a sessão se o regimento permite a convocação pelo plenário.

O presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), pediu um levantamento à Secretaria Geral da Mesa para saber se, na história da Câmara, houve alguma autoridade de Estado convocada a partir de um requerimento aprovado em plenário.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!