Deputados lançam nota de repúdio contra Parada Gay

Na nota de repúdio, os deputados classificaram o desfile de uma transexual em uma Cruz como uma 'tentativa de desmoralizar a crença de milhões de brasileiros, com provocações desnecessárias, atitudes nefastas, inescrupulosas e reprováveis'

Parlamentares integrantes das bancadas evangélica, católica e defesa da vida e da família apresentaram, na noite desta quarta-feira (10), uma nota de repúdio contra a Parada do Orgulho Gay, realizada no último final de semana em São Paulo. As três bancadas reúnem aproximadamente 330 deputados.

Durante a manifestação de domingo, a atriz Viviany Beleboni, de 26 anos, transexual e espírita, desfilou presa a uma cruz encenando o sofrimento de Jesus Cristo. Mas, em cima da cruz, havia uma frase de protesto. “Basta de homofobia LGBT”. O gesto foi entendido como uma provocação contra católicos e evangélicos. Alguns integrantes da bancada evangélica defenderam também a responsabilização criminal dos organizadores da Parada Gay e da encenação de Viviany Beleboni.

O coordenador da Frente Parlamentar Evangélica, deputado João Campos (PSDB-GO), leu nota de repúdio e criticou ainda o fato de a parada gay ter recebido recursos públicos federais e da prefeitura de São Paulo. “É dinheiro público patrocinando a intolerância”, completou.Segundo ele, o objetivo do ato em Plenário é promover uma reflexão que leve à paz e encurte a distância entre os que pensam diferente.

Na nota de repúdio, os deputados classificaram o protesto como uma “tentativa de desmoralizar a crença de milhões de brasileiros, com provocações desnecessárias, atitudes nefastas, inescrupulosas e reprováveis”. “A sociedade brasileira é religiosa e na sua maioria cristã, o respeito é essencial!”, disseram os deputados na nota de repúdio.

“Estamos unidos no Congresso em defesa da família, da ética, da vida, da liberdade religiosa e da democracia, defendemos uma sociedade justa e igualitária. Afrontar a crença de milhares de brasileiros não dará o direito de ser igual, não é pela força nem com provocações que se ganha o argumento e sim com respeito”, complementam os parlamentares.

“Os ativistas do movimento LGBT cometeram o crime de profanação contra o símbolo religioso, ferindo a todos os cristãos ao usarem uma pessoa pregada na cruz, utilizando símbolos do cristianismo de forma escandalosa, zombando e ridicularizando o sacrifício de Jesus Cristo”, pontuaram os parlamentares.

 

Confira a nota de repúdio dos parlamentares na íntegra

 

As Frentes Parlamentares Evangélica, Católica e em Defesa da Vida e da Família do Congresso Nacional vêm a público manifestar veemente o REPÚDIO à ação realizada durante a Parada do Orgulho Gay, ocorrida em São Paulo, no último domingo (7), que inclusive tinha como tema o “Respeito”.

A sociedade brasileira é religiosa e na sua maioria cristã, o respeito é essencial! O que vimos foi uma tentativa de desmoralizar a crença de milhões de brasileiros, com provocações desnecessárias, atitudes nefastas, inescrupulosas e reprováveis. Há uma verdadeira demonstração de ataques que zombam e desrespeitam a fé dos cristãos.

Estamos unidos no Congresso em defesa da família, da ética, da vida, da liberdade religiosa e da democracia, defendemos uma sociedade justa e igualitária. Afrontar a crença de milhares de brasileiros não dará o direito de ser igual, não é pela força nem com provocações que se ganha o argumento e sim com respeito.

A Frente Parlamentar permanecerá unida no Congresso Nacional para defender uma postura de respeito à dignidade da pessoa humana, a liberdade de expressão, o Estado laico, a liberdade de crenças e de culto, enfim, o Estado Democrático de Direito.

Repudiamos, assim, qualquer tipo de intolerância, discriminação, preconceito e discurso de ódio. Não nos calaremos diante de qualquer atitude de violência contra as religiões dos brasileiros. São imagens chocantes que não representam a liberdade de expressão, como apregoam.

Os ativistas do movimento LGBT cometeram o crime de profanação contra o símbolo religioso, ferindo a todos os cristãos ao usarem uma pessoa pregada na cruz, utilizando símbolos do cristianismo de forma escandalosa, zombando e ridicularizando o sacrifício de Jesus Cristo.

Para tanto, trabalharemos para coibir quaisquer abusos e para garantir a liberdade de culto, o respeito aos símbolos religiosos, a tolerância e a cultura de paz.

Saiba mais sobre homofobia

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!