Deputados desistem de projeto que institui o Dia do Corinthians

Ex-presidente e conselheiro vitalício do clube, deputados Andrés Sanchez e Goulart pedem a retirada da proposta que estabelecia o dia 1º de setembro como data nacional do Corinthians

Os deputados Goulart (PSD-SP) e Andrés Sanchez (PT-SP) desistiram do projeto de lei que instituía o Dia do Corinthians, que seria comemorado todos os anos em 1º de setembro. O primeiro, conselheiro e torcedor declarado do time, e o segundo, ex-presidente do clube, encaminharam ontem (25) requerimento ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), solicitando a retirada da proposta, que causou polêmica nas redes sociais. Conforme manda o regimento interno, o arquivamento será determinado pelo presidente da Casa.

O gabinete de Andrés atribuiu a Goulart tanto a iniciativa de criar a data comemorativa quanto a decisão de desistir do projeto, que havia sido apresentado no último dia 11. A assessoria do deputado do PSD informou que ele estava em trânsito, mas que retornaria o contato assim que possível. O Congresso em Foco aguarda o retorno.

Na justificativa da proposta, os parlamentares lembram que uma lei municipal de São Paulo, aprovada em 2007, instituiu o Dia do Torcedor Corinthiano em 23 de abril, Dia de São Jorge, santo padroeiro do clube. Segundo eles, a criação de uma data nacional para celebrar o clube se justifica por se tratar de uma instituição “muito maior do que simplesmente o jogo de futebol”.

Veja a íntegra do projeto de lei

Veja o pedido de retirada da proposta

“A história do Corinthians se funde com a própria história do esporte brasileiro e de sua sociedade, já que o Clube foi fundado por um grupo de operários e foi o primeiro clube de futebol paulista a aceitar jogadores pobres, além de ser o segundo no Brasil a aceitar atletas negros. Portanto a história do Corinthians, e sua contribuição para a sociedade brasileira, é muito maior do que simplesmente o jogo de futebol”, alegaram Goulart e Andrés.

Gaviões da Fiel

Em seu primeiro mandato na Câmara, Goulart foi eleito deputado com apoio da torcida Gaviões da Fiel e é membro vitalício do conselho do clube. Andrés dirigiu o clube entre 2007 e 2011. Em 2010, foi chefe da delegação brasileira na Copa da África do Sul. Dois anos depois rompeu com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ao deixar o cargo de diretor de seleções.

Embora exerça apenas o seu primeiro mandato parlamentar, Andrés é filiado ao PT desde 1981 e mantém relação estreita com o ex-presidente Lula, que também corintiano. Como dirigente esportivo, foi um dos principais articuladores da construção do estádio do clube em Itaquera, na capital paulista, palco da abertura da Copa do Mundo de 2014. A construção foi financiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O petista presidiu o fundo responsável pelo empreendimento. Na Câmara, Andrés apresentou outra proposta: a que cria a Frente Parlamentar Mista do Esporte.

Mais sobre esportes

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!