Deputado defende Cunha e joga copo d’água em advogado na Câmara

“Ele [Cunha] é ladrão, mas antes dele [sic] ser ladrão, tem muito ladrão por trás dele”, bradou o parlamentar do DF, antes da agressão em audiência pública na CPI dos Crimes Cibernéticos

O deputado Laerte Bessa (PR-DF) se irritou e jogou um copo d’água em um advogado que estava entre os convidados de audiência pública na CPI dos Crimes Cibernéticos, realizada na última terça-feira (20) na Câmara. Membro da chamada “bancada da bala”, grupo de parlamentares que defendem a liberação do porte de arma no Brasil, Bessa defendia o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), quando ouviu risos e palavras de contestação à sua fala, reagindo em seguida com o arremesso do copo.

A audiência na CPI serviu para ouvir esclarecimentos do coordenador nacional do Movimento Brasil Livre (MBL), Rubens Alberto Gatti Nunes, sobre denúncias de ativismo digital pautado por ataques a adversários políticos e estímulo à guerra ideológica – como definiu o autor do requerimento para o debate, Jean Wyllys (Psol-RJ). “Comparando a Dilma Bolada [avatar de apoio à presidenta Dilma Rousseff em redes sociais] ao MBL, vejo que o MBL tem uma linha de atuação pautada por injúria, difamação e calúnia. E estou falando de fatos”, justificou o parlamentar.

Bessa defendeu o MBL e disse esperar que Cunha desse início ao processo de impeachment contra Dilma, o que o movimento apoia. “As coisas não estão acontecendo. Espero que aconteça aqui na Casa, porque eu ainda acredito no presidente da Casa, que tome uma providências sérias [sic] aqui”, discursou o deputado, ridicularizado no auditório da CPI. Foi quando alguém chamou Cunha, de “ladrão”.

O peemedebista foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal, em 20 de agosto, por corrupção e lavagem de dinheiro, sob acusação de envolvimento no esquema de corrupção descoberto na Petrobras pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Segundo os Ministérios Públicos da Suíça e do Brasil, Cunha movimentou milhões de dólares e francos suíços de maneira clandestina no país europeu, no que seria o resultado de propinas pagas por desvios em contratos na estatal.

“Ele é ladrão, mas antes dele [sic] ser ladrão, tem muito ladrão por trás dele”, bradou o parlamentar do Distrito Federal, em seguida levantando-se para atirar o copo d’água no advogado e deixar, enfurecido, a sala de audiências da CPI. Diversos deputados reprovaram a atitude do colega. Veja no vídeo abaixo.

 

Depois do incidente, deputados se revezaram em críticas a Bessa. Jean Wyllys anunciou representação por quebra de decoro parlamentar. Por sua vez, a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), além de também pedir providências, demonstrou o tipo de bandeiras que Bessa defende na Câmara.

“Como é que um deputado joga um copo d’água no rosto de uma pessoa que está na audiência? Hoje é um copo d’água. Amanhã é, novamente, uma bala?”, provocou Alice.

Mais sobre Eduardo Cunha

Mais sobre impeachment

Mais sobre o Brasil nas ruas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!