Depois de votar, Dilma celebra democracia

Sem mencionar ditadura, presidenta relembra tempos em que os brasileiros não podiam votar e afirma que Brasil é, atualmente, uma democracia estável

Após votar hoje (7) pela manhã, a presidenta Dilma Rousseff celebrou o fato de o Brasil ser uma democracia estável, com regras e com respeito aos direitos das pessoas. Ela lembrou pertencer a uma geração que, na sua juventude, não teve o direito de votar para presidente. Dilma viveu sob o tacão da ditadura militar, lutou contra ela e, por essa razão, chegou a ser presa e torturada. A mensagem foi passada assim que Dilma terminou de votar em um colégio de Porto Alegre (RS).

Entre aqui para pesquisar a ficha dos seus candidatos
Tudo sobre as eleições de 2012
Tudo sobre a Lei da Ficha Limpa

A presidenta lembrou do período em que o voto não era livre no país. “Eu sou da geração que não votou. [...] Muita gente no Brasil  já nasceu na democracia, mas tem uma quantidade de brasileiros que ainda se lembra do que é não ter o direito ao exercício do direito do voto”, disse. Dilma encerrou a entrevista coletiva desejando uma ótima eleição em todo o país. “Eu desejo a  todos os porto-alegrenses, como a todos os gaúchos e a todos os brasileiros – porque esse é um país unido – eu desejo a todos eles e a todas elas uma ótima eleição”, disse.

Dilma votou pela manhã, na Escola Estadual Santos Dumont, na Vila Assunção, Zona Sul de Porto Alegre (RS) às 9h20, acompanhada do governador Tarso Genro. A presidenta não revelou o seu voto e despistou: "O voto é secreto, gente".

Dilma vota em 20 segundos e não revela escolha

Leia abaixo a íntegra da mensagem proferida hoje:

Mensagem da Presidenta da República, Dilma Rousseff,  em entrevista à imprensa, após registrar seu voto durante as eleições municipais 2012 - Porto Alegre (RS), 7 de outubro de 2012

Eu vou dar uma mensagem para o Brasil.  Eu acho que... Eu queria registrar uma coisa: eu sou da geração que não votou. E é importante, mesmo quando a memória individual das  pessoas vai  se dissolvendo, porque muita gente no Brasil  já nasceu na democracia, mas tem uma quantidade de brasileiros que ainda se lembra do que é não ter o direito ao exercício do direito do voto.

E eu queria dizer que hoje é um momento muito especial para o Brasil porque, mais uma vez, nós  reiteramos que esse país é uma democracia estável, com regras, com respeito aos direitos das pessoas e, especialmente, com essa imensa festa que é escolher quem vai dirigir  a sua própria cidade.

Aqui, no caso, nós estamos escolhendo quem vai  dirigir Porto Alegre e eu desejo a  todos os porto-alegrenses, como a todos os gaúchos e a todos os brasileiros – porque esse é um país unido – eu desejo a todos eles e a todas elas uma ótima eleição.

Saiba mais sobre o Congresso em Foco (2 minutos em vídeo)

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!