Depois de 33 anos no partido, Walter Pinheiro se desfilia do PT

Filiado desde 1983, senador ainda não decidiu qual será seu próximo partido. Parlamentar baiano é um dos principais críticos, no Congresso, das medidas de ajuste fiscal do governo

O senador Walter Pinheiro (BA) oficializou hoje (29) sua desfiliação do Partido dos Trabalhadores, legenda à qual esteve foi filiado nos últimos 33 anos. A decisão já foi comunicada ao Tribunal Regional Eleitoral da Bahia e ao diretório municipal do PT em Salvador, que já recebeu a carta de desfiliação do parlamentar. Pinheiro ainda não migrou para qualquer legenda e, por enquanto, ficará sem partido.

Filiado desde 1983, Walter Pinheiro foi o primeiro senador do partido na Bahia. O parlamentar jamais pertenceu a outra legenda, mas nos últimos meses já sinalizava o desgaste de sua relação com o PT. A gota d'água foram as diversas medidas de ajuste fiscal postas em campo, em um primeiro momento, pelo ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy, e agora com o atual titular da pasta, Nelson Barbosa.

Além de Walter, o senador Paulo Paim (PT-RS), que também cogita deixar a legenda – embora não admita publicamente, Paim tem confidenciado a interlocutores mais próximos a ideia de deixar o partido que defende desde 1985. Ambos reproduzem as divergências manifestadas pelo PT em relação à política econômica da presidente Dilma Rousseff em tempos de crise. Além deles, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) é outro crítico das medidas de ajuste do governo – embora, no caso do senador fluminense, um dos principais defensores de Dilma no Congresso, não haja sinais de desembarque do partido.

O senador foi eleito em 2010 com 3.630.944 votos. Antes de se eleger para o Senado, ocupou em 1992 a cadeira de vereador na Câmara de Salvador, onde foi líder da bancada do PT. Deputado federal por quatro mandatos, obteve o maior número de votos do PT no Brasil em sua última eleição para a Câmara, em 2006 (200.894 votos, em 414 do total de 417 municípios baianos).

Leia a mensagem divulgada à imprensa pelo senador:

"Decido encerrar, depois de uma reflexão profunda, minha única filiação. Agradeço pelas coisas boas, pelo apoio, pelas amizades, por tudo que vivenciei na vida pública e tudo que  foi possível construir. Vou continuar cumprindo, com todo empenho, a jornada que o povo da Bahia me confiou.

Grato aos meus familiares, grato aos parceiros que constroem nosso mandato, grato aos amigos, aos companheiros, ao povo da Bahia e muito, mais muito grato a Deus que pela sua Graça tem me sustentado. Creio que, como diz o apóstolo Paulo, 'combati o bom combate'. Permanecerei com o trabalho firme e mantendo minha Fé, Fé que é possível, Fé no Brasil e Fé na vida."

Mais sobre crise na base

Mais sobre fidelidade partidária

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!