DEM une-se para atacar Gilberto Kassab

Rudolfo Lago


A partir de um discurso feito na tribuna da Câmara pelo deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), parlamentares do DEM uniram-se para atacar duramente o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que planeja deixar o partido para fundar uma nova legenda. Em seu discurso, Onyx disse que o partido a ser criado por Kassab será "o partido da boquinha", insinuando que o prefeito resolveu deixar o DEM e tornar-se aliado do governo apenas em troca de benesses. Em aparte, outros parlamentares do DEM também atacaram Gilberto Kassab, deixando claro que, para o DEM, a saída de Kassab do partido já é considerada algo incontornável.


Onyx começou seu discurso elogiando o DEM, partido que se encontra dividido e quase em vias de extinção depois do fiasco nas eleições do ano passado. O deputado afirmou que o DEM, como PFL, surgiu num momento difícil da história brasileira quando, como dissidência do PDS - partido que apoiava a ditadura militar -, surgiu para apoiar a eleição de Tancredo Neves e o início da redemocratização. O deputado gaúcho buscou também colocar seu partido na gênese do programa Bolsa Família, ao lembrar que foi o ex-senador Antonio Carlos Magalhães quem propôs a criação de um fundo nacional contra a pobreza. "Esse partido tem uma história honrada", discursou.


Onyx fez esse preâmbulo para afirmar que a decisão de Kassab está ligada a essas dificuldades do partido, que ele não quer enfrentar. "Eu tinha respeito pelo Prefeito Gilberto Kassab, não o tenho mais, porque posso compreender na dimensão pessoal o interesse por buscar uma situação mais favorável àqueles que são muito firmes no que diz respeito a lealdade, a fidelidade, a seus princípios e valores e àqueles que transacionam com muita facilidade", atacou Onyx.


"Posso compreender o Prefeito buscar um caminho que lhe seja mais interessante no curto ou no médio prazo. Agora, não posso aceitar que queira destruir um dos mais importantes partidos da democracia brasileira", continuou. Para Onyx, Kassab quer criar o PDB - Partido Democrático Brasileiro - para fazer dele "o partido da boquinha, para pegar uma teta gorda do governo federal".


Onyx lembrou ainda que não é fácil a criação de um novo partido. Para obter o registro definitivo, o partido precisa ter o aval de 500 mil assinaturas distribuídas por nove estados. Assim, ele alertou àquelas que queiram, como disse aderir ao "partido da boquinha": "Olhem o risco".

Antirreforma


Em aparte, o deputado ACM Neto (BA), líder do DEM, classificou a ideia de criação do novo partido por Kassab como "antirreforma política". "É a contrariedade do que deseja o cidadão comum que votou em cada um de nós para representá-los nesta Casa", afirmou ACM Neto. "Ora, montar um partido novo é possível. A lei permite. Está aí o PSOL, um dos exemplos mais recentes. Agora, para que se monta um partido novo? Para se defender ideais, princípios, propostas, para se estruturar esse partido. Esse partido vai ser estruturado para disputar eleições, vencer cargos, seja no Executivo, seja no Legislativo. Isso é uma coisa. Agora, montar um partido como meio de passagem, como uma janela indiscreta, aí é lamentável!", disse o líder do DEM.


O deputado Abelardo Lupion (DEM-PR) emendou que, na sua avaliação, a criação do PDB não passa de um "projeto pessoal" de Kassab. "Tenho certeza de que a história o punirá. Eu tenho certeza de que o respeito que todos tínhamos por ele já acabou. E o respeito da população de São Paulo, que, com certeza, vendo esse ato leviano que ele está fazendo hoje, vai também puni-lo nas urnas, mostrando que não merece o povo paulista que o elegeu".


"Eu acho lamentável que um partido que tem a história do nosso possa ser vítima de uma situação absolutamente constrangedora. Sai hoje, sai amanhã, não oferece garantias de que ficará. Ou se sairá, construirá um projeto alternativo de uma nova legenda, para depois se fundir a uma outra legenda, o Partido Socialista Brasileiro. Nós, assistindo, através da mídia nacional, da imprensa brasileira, as mais variadas formas de especulação. Realmente, é lamentável que um partido da nossa representatividade, da nossa respeitabilidade, esteja sendo motivo de articulações nefastas, negativas, e que têm depreciado o nosso time político", comentou o deputado Mendonça Filho (DEM-PE).

Continuar lendo