Delcídio deixa comando da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado

Alvo da Lava Jato e de processo de cassação, petista alega necessidade de se concentrar em sua defesa e diz que cuidará da saúde. Gleisi Hoffmann deve comandar o colegiado

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) renunciou nesta terça-feira (1º) à presidência da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, um dos mais importantes colegiados da Casa. Coube ao senador José Medeiros (PPS-MT) ler em plenário ofício subscrito pelo senador, que pediu licença de 15 dias do mandato e esteve preso por quase ter meses em Brasília, sob acusação de ter tentado atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato.

“Considerando a necessidade de preparar meu retorno à base eleitoral que represento, concentrar-me na defesa junto ao Conselho de Ética e ao restabelecimento pleno da minha saúde, deixo a Presidência da Comissão de Assuntos Econômicos, no Senado Federal. Sendo o que se apresenta para o momento, renovo os meus protestos de elevada estima e consideração”, diz o ofício assinado pelo petista, que também enfrenta processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética do Senado.

Com a vacância agora oficialmente declarada, a CAE deve conclamar nesta quarta-feira (2) uma presidente para o colegiado. No início de fevereiro, a primeira reunião da bancada do PT no Senado, que tem o direito de indicar o sucessor de Delcídio, definiu Gleisi Hoffmann (PR) para o posto. A senadora paranaense também é investigada na Lava Jato, e tem negado qualquer relação com o esquema de corrupção descoberto pela Polícia Federal na Petrobras.

Nos quase três meses em que esteve preso, Delcídio gozou de licença especial que lhe assegurou o recebimento de verbas parlamentares e demais benefícios inerentes ao cargo. Nos termos do Regimento Interno do Senado, tal licença é concedida nas hipóteses em que o parlamentar é alvo de procedimento investigatório no Supremo Tribunal Federal (STF), preservando-se o mandato. Segundo a determinação de soltura expedida em 19 de fevereiro pelo ministro Teori Zavascki, responsável pelas investigações da Lava Jato no STF, Delcídio poderá trabalhar normalmente no Congresso, mas deve retornar para sua residência à noite e lá permanecer em feriados e fins de semana.

Mais sobre a Operação Lava Jato

Mais sobre Delcídio do Amaral

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!