Definida a presidência de mais quatro comissões do Senado

Comissão de Assuntos Sociais será comandada por Marta Suplicy e Ronaldo Caiado

 

Um mês e meio após o início do ano legislativo, os senadores avançaram na distribuição do comando das comissões permanentes do Senado. Mais quatro colegiados tiveram seus presidentes definidos nesta quarta-feira (15). A senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) vai presidir a Comissão de Assuntos Sociais (CAS). Em seu discurso de estreia, Marta disse que buscará proteger os trabalhadores das reformas trabalhista e previdenciária propostas pelo presidente Michel Temer, de seu partido. O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) foi eleito vice-presidente da comissão.

Para a Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), foi eleito o senador Otto Alencar (PSD-BA). Ele terá como vice Waldemir Moka (PMDB-MS). De acordo com Otto, uma de suas prioridades será garantir que todas as escolas e universidades públicas tenham acesso à internet banda larga.

Já a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) elegeu a senadora Fátima Bezerra (PT-RN) para a presidência. O vice-presidente será escolhido posteriormente.

Citado e réu

A presidência da Comissão de Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) ficou com o senador Eduardo Braga (PMDB-AM). Ao assumir, Eduardo Braga destacou que a CI é uma das comissões mais importantes do Senado e sugeriu um ciclo de debates, reunindo autoridades e especialistas dos setores público e privado, sobre os principais problemas de infraestrutura no país. As reuniões do ciclo serão às segundas-feiras, a partir das 17h.

Ex-ministro de Minas e Energia no governo da Dilma Rousseff (PT), Eduardo Braga foi citado em depoimento de ex-executivos da construtora Andrade Gutierrez no âmbito da Operação Lava Jato. Os delatores afirmam ter pagado propina ao senador quando ele foi governador do estado de Amazonas. No entanto, não existe investigação contra o parlamentar.

No caso de seu vice, Acir Gurgacz (PDT-RO), existem duas ações no Supremo, sendo um inquérito e uma ação penal. O senador é acusado de improbidade e dano ao erário, falsificação de documentos, crimes contra o sistema e crimes de lavagem ou ocultação de bem, direitos ou valore. As ações seguem em segredo de Justiça.

Ainda aguardam a eleição de presidente as comissões de Transparência e Governança Pública; de Agricultura e Reforma Agrária; Senado do Futuro; e de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização. Outras quatro comissões já definido seu comando nessa terça-feira.

Com informações da Agência Senado

Mais sobre política

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!